Guarani eleva previsão de produção de etanol em 13/14
CI
Agronegócio

Guarani eleva previsão de produção de etanol em 13/14

Empresa é a terceira maior processadora de cana do país
Por:
A Guarani, terceira maior processadora de cana do país, elevou sua estimativa de produção de etanol no ciclo 2013/14 para até 700 milhões de litros, em meio ao cenário mais favorável para o biocombustível após elevação da mistura e medidas de apoio do governo anunciadas na véspera, disse o presidente da empresa nesta quarta-feira.

"Nós ficamos bastante otimistas com a sinalização que o governo deu em relação ao etanol, face que o benefício que foi anunciado, e um beneficio que vai ficar na produção... Sem dúvida nenhuma, é um estimulo para o produtor", disse o diretor-presidente da Guarani, Jacyr Costa, a jornalistas no intervalo de evento promovido pela empresa em São Paulo.

A previsão de produção de etanol da Guarani, empresa do grupo francês Tereos e que conta com participação da Petrobras, estimou sua produção de etanol na atual temporada entre 650 milhões e 700 milhões de toneladas, contra uma estimativa inicial de 600 milhões de toneladas.

No ano passado, a Guarani produziu 500 milhões de litros de etanol.

O executivo ressaltou que as medidas propostas e a elevação da mistura para 25 por cento a partir de 1o de maio contribuirão para um aumento da margem do etanol no mercado interno e para uma melhor remuneração do setor.

O governo anunciou na terça-feira um pacote de medidas para a indústria de etanol, como a redução de tributos e melhores condições de financiamento para estocagem e renovação de canaviais, com o objetivo de permitir que o setor eleve investimentos e amplie a produção do biocombustível.

"É difícil precificar, mas provavelmente vamos ter uma margem em relação à safra passada, também pelo aumento da mistura, de pelo menos 15 por cento", apontou o executivo.

Diante da expectativa de aumento da produção de etanol, a empresa deverá ter uma produção de açúcar em 2013/14 praticamente estável em relação à temporada anterior, perto de 1,7 milhão de toneladas.

Ele acrescentou que "uma parte" desta produção foi precificada ao redor de 20,50 centavos de dólar por libra-peso, mas evitou especificar o percentual de produção com preço travado nesse patamar, explicando que o dado será apresentado durante a divulgação de resultados da companhia.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.