Heinze defende medidas emergenciais para salvar produtores de leite
CI
Agronegócio

Heinze defende medidas emergenciais para salvar produtores de leite

O parlamentar gaúcho argumentou que os produtores estão apreensivos com a instabilidade do mercado e precisam do amparo governamental para continuar na atividade
Por: -Janice

Nessa terça-feira (4), o deputado federal Luis Carlos Heinze defendeu a adoção de medidas emergenciais por parte do governo federal para aquecer o mercado do leite. Durante audiência pública na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados para discutir as dificuldades vividas pelo setor, o parlamentar gaúcho argumentou que os produtores estão apreensivos com a instabilidade do mercado e precisam do amparo governamental para continuar na atividade.

Como ações importantes para melhorar as perspectivas da cadeia produtiva, Heinze citou a necessidade de liberação de R$ 300 milhões para Empréstimo do Governo Federal - EGF, de R$ 100 milhões para Contratos Privados de Opção e Venda – Prop - e o aumento do volume de leite e derivados comprados pelo governo para distribuição nos programas sociais.

Para exemplificar o problema, o deputado expôs que nos três estados do sul o preço do litro de leite já caiu entre 18% e 22%. “Enquanto os produtores gaúchos estão vendendo o seu produto abaixo de R$ 0,40 o litro, o custo de produção tem aumentado assustadoramente, de modo a sacrificar os produtores. Precisamos de uma solução urgente”, ressalta. As informações são da assessoria de imprensa do deputado federal Luis Carlos Heinze.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.