Horário de verão começa à meia-noite deste sábado
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,112 (0,05%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,12%)


Agronegócio

Horário de verão começa à meia-noite deste sábado

Relógios devem ser adiantados em uma hora no Sul, Sudeste e Centro-Oeste
Por:
586 acessos
Relógios devem ser adiantados em uma hora no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Expectativa é de redução de 5% na demanda de energia no horário de pico
Começa à meia-noite deste sábado (16) para domingo (17) o horário brasileiro de verão. Segundo o Ministério de Minas e Energia (MME), moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste devem ter seus relógios adiantados em uma hora. O horário de verão termina à 0h de 20 de fevereiro de 2011.

"O horário de verão é adotado entre a primavera e o verão, quando os dias são mais longos. Sua função é levar a um maior aproveitamento da luz solar, com menor necessidade de uso de iluminação artificial", diz Claude Cohen, professora do Departamento de Economia da Universidade Federal Fluminense (UFF) e professora colaboradora do Programa de Planejamento Energético (PPE), do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Vão aderir à mudança de horário, segundo o Ministério de Minas e Energia, os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal.

Desde 2008, a mudança no horário ocorre sempre no terceiro domingo de outubro e termina no terceiro domingo de fevereiro. Na versão 2010/2011 da medida, o horário de verão segue até a 0h de 20 de fevereiro de 2011.

“A expectativa de redução da demanda [de energia] é muito próxima do que ocorreu no horário de verão do ano passado, da ordem, aproximadamente, de 5%", diz o secretário de Energia Elétrica do MME, Ildo Grüdtner, em entrevista coletiva concedida na quinta-feira (14).

Segundo o professor Wagner Costa Ribeiro, do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (USP), a economia energética está vinculada à necessidade de usar menos luz artificial. "Há uma economia concreta, e isso é muito bom. É uma necessidade. Alguns estudos apontam, no entanto, que nosso relógio biológico não se adapta tão rapidamente à mudança, por isso é importante ser cauteloso. Nos primeiros dias após a alteração, as pessoas dormem menos, e podem ficar mais dispersas e desatentas", diz ao G1.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink