Horta cultivada em presídio tem assistência da Emater/RS-Ascar

Hortaliças

Horta cultivada em presídio tem assistência da Emater/RS-Ascar

Uma horta de encher os olhos de quem passa próximo ao Presidio Estadual de Getúlio Vargas
Por:
33 acessos

Uma horta de encher os olhos de quem passa próximo ao Presidio Estadual de Getúlio Vargas. A surpresa fica por conta de que ela é cultivada por detentos. A produção é destinada ao autoconsumo do presídio e o excedente é doado para outras entidades, entre elas o Lar do Idoso. A horta é um dos diversos trabalhos feitos por um grupo de presos que conquistou o direito de realizar atividades nas áreas interna e externa do presidio. Dos 190 apenados, 50 realizam trabalhos como artesanato e na cozinha, além da horta. Todos que estão trabalhando na área externa têm autorização judicial.

O trabalho na horta é resultado de uma parceria que iniciou neste ano entre o Presídio e a Emater/RS-Ascar. As mudas para o cultivo das hortas são doadas pela empresa Tonial, por intermédio do policial Lisandro Sherer. Os técnicos do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Getúlio Vargas repassam orientações técnicas na área de Extensão Rural. Parte da produção é cultivada em estufa e outra , em área aberta. A lona que cobre a produção foi obtida com recursos oriundos do Poder Judiciário, por meio da Vara de Execuções Criminais.

Além dos detentos ocuparem o tempo, eles têm benefícios. A cada três dias de trabalho, o preso tem descontado um dia na sua pena. ?É um ótimo trabalho, pois dá ocupação para o preso e ajuda o psicológico da pessoa. Ele ganha experiência. Só aqui dentro a gente dá valor à liberdade?, disse um dos presos que conquistou o direito de trabalhar na área externa no cultivo das hortaliças. Outra vantagem, segundo ele, é que tudo é cultivado de forma orgânica, sem adição de adubos químicos.

Para o chefe de segurança, Claudio Adriano Silveira, ?as atividades ajudam no bom andamento do serviço e mantêm o ambiente tranquilo?, avalia. A diretora Alice Richetti também destaca a importância de manter os presos ocupados.

Apesar do presidio receber as mudas e a assistência técnica, a Instituição deseja implantar um projeto para irrigação das hortas, mas faltam recursos. A produção pode ser aumentada já que existe espaço. O presídio aceita doações de mudas, sementes, calcário, entre outros materiais para estruturar ainda mais o espaço. A unidade prisional abriga 190 detentos com vários tipos de delitos, com abrangências nas comarcas de Getúlio Vargas e Tapejara.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink