Hortaliças têm queda nos preços
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,666 (-0,38%)
| Dólar (compra) R$ 5,51 (0,70%)

Imagem: Sheila Flores

BALANÇO

Hortaliças têm queda nos preços

Levantamento aponta alta somente na alface. Tomate, batata e cenoura registraram baixa
Por: -Eliza Maliszewski
329 acessos

A maioria das hortaliças observadas pelo Boletim Prohort, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), registrou queda nos preços em junho. O levantamento inclui o comportamento das cinco principais hortaliças: alface, batata, cebola, cenoura e tomate, e tem por base as principais Centrais de Abastecimento localizadas em São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ, Vitória/ES, Curitiba/PR, Goiânia/GO, Brasília/DF, Fortaleza/CE e Recife/PE.

O tomate teve as maiores baixas, chegando a uma queda de 55,8% em Vitória (ES), 29,5% em Recife (PE) e 29,4% no Rio de Janeiro (RJ). A única alta foi registrada em Curitiba (PR) mas não alcançou nem 1%. A diminuição dos preços já era esperada.
Em segundo lugar com as maiores baixas aparece a cenoura. A queda chega a 32 % em Brasília (DF) e em São Paulo. Apenas em Fortaleza (CE) houve alta na casa de 13%. A maior produtividade devido à melhores condições climáticas vem se refletindo nos níveis de oferta.

A batata teve queda de 18% no Rio de Janeiro (RJ) e 14% em Brasília (DF). Nenhuma capital analisada registrou alta. O tubérculo teve baixa pela primeira vez no ano. A intensificação da safra da seca vem pressionando os preços para baixo. A oferta a partir dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás aumentou, o que deve ocorrer também em julho.

A cebola registrou queda de 13,5% em Fortaleza (CE) e 11,5% em Recife (PE). Alta somente em Brasília (DF), com 2,9%. A predominância da queda de preço vem da diferente origem de  produção do bulbo. O mercado, antes abastecido primordialmente pela oferta do sul do país, agora tem cebola oriunda, também, do Nordeste (Bahia e Pernambuco), Sudeste (São Paulo e Minas Gerais) e Centro Oeste (Goiás).

Já a alface foi a única hortaliça a registrar alta, chegando a 40,5% em São Paulo (SP) e 25,5% em Recife (PE). Queda de 27,7% em Brasília (DF). Parte da área destinada ao plantio de alface foi substituída por culturas menos perecíveis, como o repolho e a couve flor, com possibilidade de serem consumidas cozidas e por isso, mais apreciadas no inverno. Outro fator relevante foram as baixas temperaturas e a ocorrência inclusive de geadas que prejudicaram o cultivo das folhosas neste período. 
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink