Hortas orgânicas para mais dois municípios
CI
Agronegócio

Hortas orgânicas para mais dois municípios

Em 2012, mais duas comunidades agrícolas ganharão unidades demonstrativas com hortas orgânicas do Projeto Boa Esperança
Por:
Em 2012, mais duas comunidades agrícolas ganharão unidades demonstrativas com hortas orgânicas do Projeto Boa Esperança, de transferência de tecnologias, que é executado pela Embrapa Meio-Norte em sete municípios do Piauí e maranhão e financiado pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco – Chesf.


No Piauí, a comunidade a ser beneficiada é Beleza, no município de Antônio Almeida, a 395 quilômetros ao sul de Teresina. No Maranhão, São João dos Patos, a 540 quilômetros a leste de São Luís, é o município beneficiado. Neste, a comunidade ainda será definida.

No assentamento Beleza, a seis quilômetros do centro de Antônio Almeida, com 45 famílias, os agricultores que participarão do projeto já receberam treinamento em cultivo orgânico de hortaliças e controle alternativo de pragas e doenças também em hortaliças.


A horta produzirá basicamente alface, couve, cheiro-verde, tomate, pimenta, pimentão, cebola e macaxeira, culturas exploradas na região. A ideia é aumentar a renda das famílias, com a comercialização dos produtos no município de Antônio Almeida, e melhorar a alimentação delas.

UM SUCESSO

A produção de hortaliças orgânicas através do Projeto Boa Esperança já é um sucesso no assentamento Santa Teresa, no município de Uruçuí, a 482 quilômetros ao sul de Teresina. Lá, a horta, com 16 módulos de 252 metros quadrados cada, oito famílias estão melhorando de vida produzindo, consumindo e repassando os produtos na cidade.


Duas famílias são destaques nessa empreitada. Marlene Pinto de Miranda, de 39 anos e mãe e três filhos, é a mais ativa. Ela tem 18 canteiros com alface, couve, cheiro-verde, pimenta e pimentão, e quer seguir em frente cultivando também macaxeira e tomate. Toda semana, segundo ela, o faturamento médio é de R$ 300, 00. As hortaliças são vendidas no centro de Uruçuí.

O outro destaque é o agricultor Joaquim Gomes da Silva, de 59 anos. Ele vem conseguindo faturar, em média, toda quinzena, R$ 500,00, comercializando os produtos na própria comunidade e no mercado de Uruçuí. “Essa atividade melhorou a vida do assentamento”, reconhece.


Os participantes do projeto já estão vendendo os produtos através do Programa Compra Direta, articulado pelo Emater-PI. A informação é do analista em agronomia Pedro Rodrigues Neto, da Embrapa Meio-Norte, que coordena as ações. Mais informações pelo telefone (86) 3089-9237 ou pelo e-mail pedro.rodrigues@cpamn.embrapa.br.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.