Hortifrutigranjeiros estagnam em preços baixos

Agronegócio

Hortifrutigranjeiros estagnam em preços baixos

Nesta época algumas hortaliças amadurecem mais rápido
Por:
885 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Em levantamento feito na segunda-feira (08.09), na Central de Abastecimento (Ceasa) de Uberaba da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento (Sagri), foi constada a estagnação nos preços. Apenas o jiló teve uma alteração em seu valor, visto que todos os outros mantiveram os preços da semana passada.

A batata-inglesa permanece na casa dos R$ 35,00 o saco de 50 kg. A cebola, na quantidade de 20 kg, sai por R$ 25,00, e o tomate permanece no valor de R$ 35,00. As folhosas mantêm os preços baixos. A alface sai por R$ 12,00 a dúzia. A mesma quantidade de couve mantém seu preço de R$ 30,00, como também o repolho, de R$ 15,00. De acordo com João Carlos Caroni, orientador de mercado da Ceasa, os preços estão abaixo do comum, pois refletem na quantidade ofertada com a capacidade de compra do brasileiro.

Nesta época de sol mais quente, algumas hortaliças amadurecem mais rápido, o que permite ao produtor disponibilizar seu produto também com mais rapidez. Além disso, o poder aquisitivo do brasileiro anda limitado e o mesmo acaba tirando as hortaliças de sua prioridade”, explica. O jiló, único produto a ter alteração de preço em relação à semana passada, foi de R$ 40,00 para R$ 30,00. As frutas também mantêm seus preços e se mostram bem atrativas para o consumo.

A laranja beira-rio sai por R$ 15,00 a quantidade de 22 kg e a melancia continua valendo R$ 1,20. Apesar do bom momento para o consumidor e a grande oferta no mercado atualmente, Caroni conta que o produtor já está em alerta devido à seca. “Os produtores se mostram preocupados, pois no próximo mês vem a época mais difícil para o cultivo de hortaliças. Em setembro e outubro, o clima não favorece a produção, o que pode afetar na capacidade de oferta”, explica João Carlos.

O secretário da Sagri, Danilo Siqueira, alerta o consumidor para aproveitar os preços abaixo do comum e compor a sua mesa com produtos saudáveis e naturais. “Esta boa oferta na atualidade permite que os produtos cheguem à mesa do uberabense com valores mais baixos. Quanto mais se compra no Ceasa de Uberaba mais se fomenta a horticultura, aumentando a oferta e abaixando os preços, por isso é importante que varejistas daqui deem preferência aos produtos da nossa terra”, finaliza Siqueira.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink