HV de portas abertas para grandes animais

Agronegócio

HV de portas abertas para grandes animais

Por:
205 acessos

Novos equipamentos favorecem diagnóstico e tratamento de bovinos, equinos, caprinos, ovinos e suínos, além de ampliar capacidade de atendimento

A notícia é boa para o homem do campo: os profissionais do Hospital Veterinário (HV) da Universidade Estadual de Londrina (UEL) que trabalham com grandes animais - - estão comemorando a aquisição de importantes equipamentos e anunciam que dão conta de atender a uma demanda maior do que a que estão atendendo. Em outras palavras, há vagas para animais de grande porte no HV.

Enfatizando que atualmente há bons veterinários trabalhando em todos os cantos do Paraná, o coordenador do serviço, Marcelo Seneda, comenta que o HV pode e deve ser procurado por contar com professores especialistas e com equipamentos para o diagnóstico e terapêutica, como ultrassonografia, endoscopia, laboratório e radiologia. Há também a possibilidade de o atendimento ser feito na propriedade onde está o animal doente. ""Mas o melhor é que o paciente, sempre que possível, seja trazido ao hospital"", comenta Seneda.

""Os aparelhos que temos à disposição no hospital são essenciais para o diagnóstico e também para o tratamento. Com o aparelho de ultrassom, por exemplo, que é uma aquisição recente do HV, podemos confirmar lesões de tendões e ligamentos do sistema esquelético; doenças da cavidade torácica e alterações cardiovasculares. O mesmo equipamento nos auxilia em procedimentos como a biópsia guiada por ultrassom e é fundamental no campo reprodutivo, para a avaliação dos órgãos genitais, diagnóstico precoce da gestação e da sexagem do feto e para o estudo dos problemas reprodutivos"", salienta a professora Lilian Michina.

Por falar em reprodução, Seneda, especialista dessa área, comenta que muitas vezes o trabalho dos profissionais do HV é dificultado pela demora dos proprietários em procurar atendimento. O pessoal, sem qualquer auxílio profissional, insiste em fazer o parto na propriedade. Mas às vezes acontece de a situação se complicar, sair da normalidade. ""Mesmo assim, tem gente que só nos procura quando já é irreversível"", comenta o professor, exemplificando com um caso que atendeu recentemente, de uma mini-vaca cuja vida ele salvou, porém o bezerro já estava morto quando mãe e cria chegaram ao HV. Seneda, com seu 1,95m de altura, teve que fazer o parto na vaquinha deitado.

""O detalhe é que se formos procurados rapidamente os custos dos procedimentos tendem a ser menores"", complementa o veterinário, lembrando que o atendimento no HV não é gratuito. No entanto, ele lembra que o investimento pode compensar em muitos casos, como na análise de sêmen. ""É um exame simples, como se fosse um espermograma, mas de resultado interessante, pois constata se o reprodutor não tem nenhum problema. O proprietário pode estar insistindo com um animal que não está em condições de se reproduzir, perdendo tempo e dinheiro"", explica.

O professor Peter Reichmann ressalta que mesmo com o atendimento de 200 animais por ano, o serviço poderia ser mais procurado. ""Trabalhamos com uma equipe multidisciplinar e em uma estrutura hospitalar. Porém, estamos sendo pouco utilizados para a capacidade que temos"", lamenta.

Serviço

O telefone do setor de grandes animais do HV durante o horário comercial, todos os dias da semana, é 43 3341-4671. Fora do horário comercial, o atendimento é feito pelo telefone geral: 43 3371-4269.

O professor Julio Augusto Naylor Lisboa está iniciando uma pesquisa sobre doenças neurológicas que levam à morte de bovinos. Se você tiver algum animal com suspeita desse tipo de problema, escreva para ele: janlisboa@uel.br

Wilhan Santin


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink