IAC apresenta três novidades em milho para o público da Agrishow

Agronegócio

IAC apresenta três novidades em milho para o público da Agrishow

Híbridos e variedade IAC têm o melhor custo-benefício entre os similares comerciais
Por: -Janice
2485 acessos
Híbridos e variedade IAC têm o melhor custo-benefício entre os similares comerciais

O Brasil é o terceiro maior produtor de milho do mundo. É também o terceiro maior exportador deste grão, ficando atrás somente dos Estados Unidos e da China. Nesse cenário, o Instituto Agronômico (IAC) busca sempre desenvolver novos materiais que viabilizem a redução do custo da semente, elemento mais oneroso do processo de cultivo do milho.

É o caso da variedade IAC Airan, que estará exposta na Agrishow 2011, de 02 a 06 de maio, em Ribeirão Preto, São Paulo. O custo da IAC Airan é extremamente competitivo – R$75,00 cada 20 kg de sementes – um dos mais baixos entre os materiais disponíveis no mercado, sendo que a produtividade é a mesma.

Testes realizados em 12 locais da região Centro-Oeste do Brasil resultaram em uma produção média de 5.988kg/ha durante a safrinha, o equivalente a quase 100 sacas por hectare. Durante o ciclo do verão, o IAC Airan atingiu 7.195 kg/ha, nos ensaios regionais do Estado de São Paulo.

Segundo Eduardo Sawazaki, pesquisador do Instituto Agronômico (IAC), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, O Airan terá uma versão mais produtiva nos próximos anos. “O melhoramento é contínuo. Através de estudos de cruzamentos com novos híbridos, vamos incorporar parte dos ganhos observados”, explica Sawazaki.

Outra vantagem da IAC Airan é o porte mais baixo e maior uniformidade entre as variedades. Em ensaios experimentais no Estado de São Paulo, a planta apresentou média de 220 cm de altura. A espiga, mais grossa e com grãos mais uniformes, fica a 120 cm do solo. Esta uniformidade torna a IAC Airan ideal para a colheita mecânica.

Este material é indicado para a produção de grãos na safra e na safrinha, na região Centro-Oeste do País. De acordo com o pesquisador, a variedade IAC é ideal para pequenos produtores, justamente pelo seu custo-benefício e por ser viável com poucos recursos tecnológicos.

Híbridos IAC 3330 e IAC 8390

O IAC também levará para a Agrishow deste ano dois híbridos de milho resultantes do cruzamento entre variedades sintéticas: o IAC 3330, registrado em 2010, e o IAC 8390. Esses híbridos vêm ampliar as opções para os produtores paulistas.

O aperfeiçoamento desses híbridos é de extrema importância para a produção local e para produtores de silagem de milho, no caso do IAC 8390, e para safrinha no Brasil, no caso do IAC 3330.

O destaque do IAC 3330 é a alta resistência a doenças, em especial à mancha de cercóspora e à ferrugem branca (ou tropical). Esse novo híbrido é ideal para a safrinha justamente devido a essa tolerância. “O IAC 3330 apresenta a mesma resistência com e sem fungicidas. É ideal para a safrinha, quando a produção cai, uma vez que o produtor não irá gastar com a proteção preventiva”, explica Eduardo Sawazaki.

De acordo com o pesquisador, o IAC 3330 só não é recomendado para a região Sul, onde ainda não foi avaliado. De porte médio e grão semiduro, é ideal para a indústria e para a produção de ração.

O IAC 3330 é capaz de produzir 9.156 kg/ha no verão, e 4.596 kg/ha na safrinha, período de queda acentuada da produção. De ciclo precoce, esse híbrido é indicado para a semeadura tardia de verão, em locais de alta pressão de doenças. Na safrinha, é recomendado para o Estado de São Paulo e a região Centro-Oeste do País.

Outro híbrido que também tem grande aceitação do mercado é o IAC 8390, material de excelente qualidade e produtividade para silagem, uma vez que apresenta proteína bruta, amido e produtividade de matéria orgânica digestível acima da média.

Nos ensaios regionais de 2009/10, no Estado de São Paulo, o IAC 8390 apresentou produtividade de 8.714 kg/ha na região Sul e 8.326kg/ha na região Noroeste. “O Vale do Paranapanema obteve 8.694 kg/ha, o equivalente a 145 sacas”, diz Sawazaki.

O grão do IAC 8390 é mais duro e mais alaranjado e suas folhas são predominantemente semi-eretas de largura média. Apesar de a planta desse híbrido ser 26% mais alta que a média dos materiais, apresenta boa resistência ao acamamento e quebramento da planta. O IAC 8390tem boa resistência e tolerância às principais doenças foliares do milho, especialmente para a ferrugem polyssora.

Isso, aliado à produtividade do grão acima da média, à resistência ao acabamento e quebramento da planta e o baixo custo das sementes, faz do IAC 8390 o híbrido com o melhor custo-benefício entre os similares comerciais. É indicado para a produção de grãos e silagem, nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Paraná. O ciclo é um pouco mais tardio que a média dos materiais.
As informações são da assessoria de imprensa do Instituto Agronômico (IAC).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink