Evento

IAS leva informações ao interior do estado

Objetivo do novo sistema é unificar a comunicação das empresas com o governo
Por:
7 acessos

Provar que o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, mais conhecido pela sigla eSocial, não é um bicho de sete cabeças: essa é missão do consultor Fernando Oliveira, convidado pelo Instituto Algodão Social (IAS) para apresentar o tema na 8ª Jornada de Atualização Legal. Nesta semana, ele esteve em Rondonópolis, Primavera do Leste e Campo Verde, respondendo a inúmeras perguntas de profissionais responsáveis pela implantação do eSocial em empresas envolvidas na produção algodoeira nessas regiões.

Com uma palestra bem didática, que contou com muitos exemplos práticos, Oliveira acredita ter cumprido o seu papel de "quebrar a resistência" das pessoas que, por desconhecimento, estão temerosas diante do prazo para implantação do e-Social. Em janeiro passado, o sistema entrou em vigor para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões durante o ano de 2016 e a segunda fase, que se aplica à boa parte das empresas ligadas ao setor algodoeiro de Mato Grosso, prevê a utilização obrigatória para 16 de julho deste ano.  O objetivo do novo sistema é unificar a comunicação das empresas com o governo e, dessa forma, as informações relativas aos trabalhadores, como vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, aviso prévio, escriturações fiscais e informações sobre o FGTS passam a ser transmitidas eletronicamente, sem necessidade de preenchimento e entrega de formulários e declarações separados a cada entidade governamental.

Para Fernando Oliveira, que é graduado em Ciências Contábeis e Gestão Tributária, com pós-graduação em Finanças, Controladoria e Auditoria, Gestão de Pessoas, Liderança e Coaching, a palavra que melhor define o e-Social é "transparência".

"Com a implantação do novo sistema, a empresa vai disponibilizar online todas as informações sobre seus empregados e as entidades governamentais – Ministério do Trabalho e Emprego, Caixa Econômica Federal, Receita Federal, Previdência Social e  INSS – terão acesso a elas de forma simultânea", explica.

Fernando Oliveira reconhece que implantar esse novo sistema é "desafiador" e preparou uma palestra apontando os caminhos para os profissionais responsáveis pelo RH (Recursos Humanos) das empresas. Os participantes da 8ª Jornada de Atualização Legal também receberam uma apostila com o passo-a-passo para a implantação do e-Social. O palestrante reconhece, entretanto, que é necessário ir além para dar conta da tarefa.

"Meu conselho é que os profissionais de RH busquem ajuda. É preciso meter a mão na massa porque o prazo para a implantação do sistema está se extinguindo", alerta.  Um dos desafios é poder contar com internet de qualidade, o que nem sempre ocorre no interior de Mato Grosso. Essa foi uma das dificuldades apontadas por Vanderlino Vieira Silva Junior, coordenador de RH da Fazenda Marabá, em Campo Verde.

"Estou preocupado. Acredito que o objetivo do eSocial é fazer com que haja mais transparência na relação entre empregador e empregados, mas para que isso aconteça é importante qualificar o RH das empresas, melhorar o sistema e a internet", comenta.

Responsável pelo RH do Grupo Princesa, também de Campo Verde, Weverton Machado, participou da Jornada de Atualização Legal em busca de conhecimento e se mostrou satisfeito com o curso – o primeiro ao qual assistiu sobre o eSocial. Mas ele está preocupado com o prazo para a implantação (até julho). "O tempo está curto e, no nosso caso, a maior dificuldade é o momento da implantação do novo sistema, que coincide com o início da safra do algodão", comenta. A colheita de algodão em Mato Grosso começa em junho e, com ela, um período de intensa atividade nas fazendas e usinas de beneficiamento.

Embora não esteja diretamente ligada ao RH da Fazenda Santa Catarina – uma das pioneiras do município de Campo Verde -, a engenheira agrônoma Ana Caroline Guolo fez questão de assistir ao curso sobre eSocial. "Procuro estar sempre me informando, atualizando meus conhecimentos para poder passar aos colaboradores da fazenda e poder cobrar dos responsáveis pela contabilidade", afirma Caroline, que é técnica em RH e aprovou o curso por ter um "conteúdo bem prático".

O curso "O papel do RH na implantação do eSocial" está sendo levado a todos os núcleos regionais de produção algodoeira desde o dia 3 de abril, no período da manhã (das 7h30 às 12h30), e a Jornada será concluída em Cuiabá, no dia 19. As inscrições são gratuitas, porém limitadas e destinadas somente a funcionários e autônomos vinculados aos produtores de algodão associados à Ampa (Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão).

As inscrições podem ser feitas através do e-mail curso@algodaosocial.com.br ou pelos telefones: (65) 3322-0001 / (65) 3622-2530 / (65) 3623-8667 / (65) 99659-4522.   Esses contatos também podem ser utilizados para outras informações sobre o evento, realizado por Ampa e IAS, sob a supervisão da engenheira agrônoma Marcelma Maciel e em parceria com o Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt).
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink