IAS prorroga prazo para inscrição no prêmio Semeando o Bem

Agronegócio

IAS prorroga prazo para inscrição no prêmio Semeando o Bem

Interessados terão mais prazo para submissão dos projetos
Por:
432 acessos

Ainda dá tempo para participar do prêmio Semeando o Bem 2016. O concurso, realizado por iniciativa do Instituto Algodão Social (IAS), teve prorrogado para o próximo dia 26 o prazo final para as inscrições de projetos. A medida foi tomada pelo IAS atendendo a pedidos de responsáveis por fazendas interessadas em participar da terceira edição do prêmio, que é concedido a cada dois anos.

A premiação é destinada a projetos que valorizam ações voluntárias, de caráter social, ambiental e cultural, desenvolvidas por produtores associados à Ampa (Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão) ou seus colaboradores.

Os representantes de fazendas poderão formalizar a participação no prêmio por meio de formulário disponível no site do IAS (www.algodaosocial.com.br), inscrevendo-se em qualquer uma das oito categorias disponíveis: Saúde, Educação, Meio Ambiente, Esporte e Lazer, Cultura, Filantropia, Educação e Segurança Alimentar, e Ações Diferenciadas.

O presidente do Núcleo Regional Norte, Orcival Guimarães, é um dos entusiastas do programa Semeando o Bem, cujas iniciativas são destacadas pelo prêmio homônimo. "Semear o bem: essas palavras já definem tudo. Acho que vale muito a pena promover iniciativas que levem saúde, educação e bem-estar a nossos colaboradores e às suas famílias, principalmente às crianças", comenta Guimarães, que sempre faz questão de ressaltar que adora "lidar com gente". A Boa Esperança Agropecuária Ltda. cultiva algodão em seis fazendas, em sociedade com o Grupo Bom Jesus (que tem como sócios os irmãos Nelson e Geraldo Vigolo) e já inscreveu dois projetos na atual edição do prêmio Semeando o Bem: "Frutificar – Educar para crescer", na categoria Meio Ambiente, e "Ações de prevenção às doenças ocupacionais e não ocupacionais" na categoria Saúde.

O diretor executivo do IAS, Félix Balaniuc, ressalta que cada fazenda poderá inscrever mais de um projeto desde que em categorias temáticas e respectivo subgrupo distintos. Também é permitida a apresentação de ações que já tenham concorrido nas edições anteriores, inclusive as finalistas desde que os projetos não tenham sido vencedores. 

Uma ação intensiva tem sido feita pela Comissão Organizadora do concurso, por meio da supervisora de Sustentabilidade, Marcelma Maciel, e do técnico de Segurança do trabalho, Marcos Martinelli, a fim de incentivar os produtores a participarem. “Nós os visitamos, vemos se eles têm atividades sociais voltadas para a comunidade ou para colaboradores e os incentivamos a inscrever esses projetos no Prêmio”, comenta Marcelma.

Gustavo Piccoli, presidente da Ampa e do IAS, ressalta que o comprometimento com a prática da responsabilidade social e a adoção da gestão empresarial sustentável trazem diversos benefícios, como o aumento da produtividade e competitividade, confiança de mercado e contribuem para a boa imagem do algodão perante a sociedade.

“Fazer o bem, dar atenção às pessoas, proteger e conservar o meio ambiente são iniciativas que ultrapassam as obrigações legais e contribuem para melhorar a qualidade de vida dos colaboradores, de suas famílias e do entorno social, e asseguram a produção sustentável na fazenda”, complementa Piccoli.

O anúncio dos finalistas deve ser feito até 30 de setembro, conforme cronograma oficial. Já os vencedores serão conhecidos em cerimônia a ser realizada em dezembro e os projetos serão apresentados na revista Algodão Social 2017. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink