IBGE prevê safras maiores de soja, milho e algodão

Agronegócio

IBGE prevê safras maiores de soja, milho e algodão

A nova safra de soja do Brasil (2007/08) deverá resultar em uma produção de 59,3 milhões de toneladas
Por:
315 acessos

Reuters - O IBGE divulgou nesta quinta-feira (08-11) sua primeira estimativa para a nova safra agrícola brasileira, prevendo produções maiores dos principais produtos, devido a aumento da área de cultivo sob o estímulo de melhores preços internacionais. A nova safra de soja do Brasil (2007/08) deverá resultar em uma produção de 59,3 milhões de toneladas, ante volume na temporada anterior de 58,2 milhões de toneladas, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O órgão estimou a 1ª safra de milho em 38,2 milhões de toneladas, contra 36,3 milhões de toneladas no ano passado.

A safra de algodão (em caroço) foi projetada em 4,15 milhões de toneladas, ante 3,8 milhões de toneladas em 2007. Sobre a soja, o IBGE destacou que verificou no campo "certo atraso no plantio, em função da estiagem que se abateu sobre as regiões produtoras". O instituto ressaltou, no entanto, que as cotações superiores da oleaginosa servem de estímulo.

"Destaca-se também a preocupação dos produtores com relação ao fenômeno La Niña, que vem sendo previsto pelos especialistas em climatologia. Aliado ao atraso no plantio, ele poderá provocar mudanças nos resultados finais. Até o momento, a implantação das lavouras está sendo realizada com bom nível tecnológico". Com relação ao milho, o IBGE informou que a estimativa para maior produção ocorre pelo aumento da área de cultivo nos principais Estados produtores.

"Contribuiu para esse quadro a boa cotação que o produto vem mantendo em face da menor oferta pelo maior produtor mundial (EUA), que está destinando parte de sua safra para a fabricação de etanol", acrescentou o órgão em seu relatório.

A produção total de cereais, leguminosas e oleaginosas para a nova safra brasileira é estimada em 137 milhões de toneladas, 2,9 por cento acima da obtida na temporada anterior. Para o algodão, o IBGE verificou aumento do plantio principalmente na Bahia (13,6 por cento) e no Mato Grosso, o maior produtor nacional (mais 3,7 por cento).

"O fator que mais contribuiu para este acréscimo foi a manutenção dos preços do produto, tanto no mercado interno quanto no externo. No Mato Grosso, a maioria dos produtores constitui condomínios, destinando a produção diretamente para o mercado internacional, através de contratos futuros, obtendo, desta forma, melhores resultados".


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink