Agronegócio

IG Monte Belo é reconhecida pelo INPI

Solenidade de entrega do registro está prevista para dezembro
Por:
2895 acessos
Solenidade de entrega do registro está prevista para dezembro

A vitivinicultura brasileira acaba de ganhar sua quarta Indicação Geográfica (IG) de vinhos finos e espumantes. Trata-se da IG Monte Belo, cujo registro de reconhecimento foi publicado esta semana pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). A solenidade está prevista para dezembro no município de Monte Belo do Sul (RS), aonde acontecerá a entrega da certificação, cuja titular é a Associação dos Vitivinicultores de Monte Belo (Aprobelo).


A IG Monte Belo possui 56,09 quilômetros quadrados, distribuídos pelos municípios de Monte Belo do Sul (com 80% da área), Bento Gonçalves e Santa Tereza. São dez as vinícolas associadas à Aprobelo: Adega Del Monte, Armênio, Calza, Casa Angelo Fantin, Faé, Famiglia Tasca, Honório Milani, Megiolaro, Reginato e Santa Bárbara.

O presidente da Associação, Antoninho Calza, observa que a entidade foi fundada em 14 de novembro de 2003 já com o propósito de conquistar o reconhecimento. “Os associados eram todos produtores de uva e de vinho de mesa para comercialização a granel; daí, enxergamos no desenvolvimento de uma Indicação Geográfica uma possibilidade para ingressarmos no segmento de vinhos finos e espumantes de origem controlada”, lembra.


A Aprobelo, visando à concretização de sua proposta, buscou, em 2004, o suporte técnico da Embrapa Uva e Vinho, de Bento Gonçalves (RS). A partir de então, a unidade de pesquisa funcionou como uma incubadora para as empresas da Associação: foi na Embrapa Uva e Vinho onde foram produzidos os primeiros vinhos-base e espumantes com marca das vinícolas associadas – as quais hoje elaboram os produtos em suas próprias instalações. Da mesma forma, em uma primeira etapa de qualificação enológica dos estabelecimentos afiliados, com duração de 2004 a 2009, a Embrapa ministrou a técnicos das cantinas capacitação para a produção de vinhos finos tintos.

A IG Monte Belo tem como grande diferencial o fato de ser constituída exclusivamente por vinícolas de pequeno porte. “Os estabelecimentos são familiares, neles trabalham geralmente os próprios donos ou seus filhos”, diz Calza.
O município de Monte Belo do Sul é o maior produtor per capita de uvas Vitis vinifera (para a elaboração de vinhos finos) da América Latina, com 16 toneladas per capita/ano. O presidente da Aprobelo informa que os primeiros vinhos com selo da IG chegarão ao mercado em 2014. Entretanto, ele já comemora o anúncio de reconhecimento pelo INPI. “A satisfação é enorme, porque a Indicação nos coloca noutro patamar, em termos de projeção da qualidade do que se produz na região”, afirma.


O país já tem reconhecidas, no segmento de vinhos finos tranquilos e espumantes, as IGs Vale dos Vinhedos, Pinto Bandeira e Altos Montes. Outra Indicação cujo processo de desenvolvimento está em andamento é Farroupilha. A Embrapa Uva e Vinho, por meio do projeto de desenvolvimento de Indicações Geográficas de vinhos finos e espumantes da Serra Gaúcha, coordena o processo que dá suporte técnico-científico para o estabelecimento de todas elas. A vitivinicultura brasileira também tem uma Indicação no segmento de vinhos de mesa – os Vales da Uva Goethe, em Santa Catarina.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink