II Encontro da Rota dos Butiazais acontece em Pelotas

Encontro

II Encontro da Rota dos Butiazais acontece em Pelotas

Embrapa sedia a edição que é itinerante e bianual
Por:
250 acessos

Evento vai mostrar as possibilidades de  conservação, manejo e uso do butiá e as diversas interações da cultura para o desenvolvimento internacional, regional e municipal. A Embrapa sedia a edição que é itinerante e bianual.

Durante dois dias a cultura do butiá vai ganhar a atenção de curiosos e estudiosos no tema, em Pelotas. Terá continuidade a edição do evento internacional, o II Encontro Internacional da Rota dos Butiazais - Butiá: oportunidades e desafios, voltado aos parceiros da Rota dos Butiazais - uma rota turística de valorização da biodiversidade regional oficializada pelo Governo do Estado do RS desde 2015. O evento se propõe a discutir os avanços na conservação, manejo e uso sustentável de butiá no Brasil, Uruguai e Argentina, através de oficinas, incluindo também uma programação em mesas redondas, que irão compartilhar conhecimento. O II Encontro acontece entre os dias 29 e 30 de maio, no auditório Ailton Raseira, na unidade de pesquisas da Embrapa Clima Temperado.

O primeiro evento internacional ocorreu em 2016 e foi realizado no Parque Nacional El Palmar, além de realizar atividades nas cidades de Colon e Ubajay, ambas pertencentes a província de Entre Rios, na Argentina. Segundo a coordenadora do evento, a pesquisadora Rosa Lia Barbieri, o Encontro será itinerante, por isso acontece nesta edição em solo brasileiro, e terá frequência bianual.

Os dois dias buscam envolver as instituições interessadas no tema, o público-alvo e, consequentemente a sociedade, às possibilidades e oportunidades que a Rota tem proporcionado: o manejo e uso do butiá e suas experiências como forma de integração dos países do Cone Sul (tendo uma representante do Paraguai nesta edição); o uso dos butiazeiros como contribuição turística a municípios (relato de prefeitos de Giruá, Quaraí, Imbituba, Santa Vitória do Palmar e Tapes/RS); o papel das mulheres na promoção da Rota; a colaboração da cultura do butiá na apresentação de políticas públicas para a sociobiodiversidade; a existência da Rota como fomentadora do empreendedorismo (cases de ONGs e entidades de turismo rural);  e a riqueza do butiá e seus usos na gastronomia (experiências do movimento Slow Food/Porto Alegre; do Vale Rústico de Garibaldi; do gastrônomo André Santos, da UFPel/Pelotas; e Laura Rosano, da Chacra Ibirapita, do Uruguai).

Está programado também um espaço para apresentar os desafios na conservação dos butiazais no Estado do RS, tendo a presença de representantes da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e a Promotoria da Justiça, de Porto Alegre, e ainda, a Associação Comunitária Rural de Imbituba. Além disso, o resgate cultural do butiá  no Mercosul vai trazer a vivência das instituições Parque Nacional El Palmar, da Argentina; Asociación Etnobotánica Paraguaya, do Paraguai e o Museo del Patrimonio Regional de Rivera, Uruguai.

Oficinas e atividades extras

Para quem estiver inscrito no evento, que é gratuito, poderá escolher uma das quatro oficinas oferecidas no Encontro: Certificação do extrativismo de butiá com profissionais da SEMA; Arte com as fibras dos frutos com representante de Caxias do Sul; Anjos com folhas de butiá, da Emater/Barra do Ribeiro e Empreendedorismo para começar bem, com o SEBRAE/RS. O programa dispõe de apresentações artísticas, comercialização de produtos de artesãos da Rota dos Butiazais, premiação de trabalhos e sessões de vídeos e a entrega de certidões florestais de extrativismo de flora nativa a extrativistas de Santa Vitória do Palmar.

Apresentação de trabalhos orais e resumos expandidos

Os organizadores do II Encontro irão apresentar os resumos expandidos inscritos previamente, assim como, haverá um momento no primeiro dia de evento, onde acontecerá o relato de experiências na cultura do butiá: dia 29 de maio, das 12h às 12h30. Os resumos expandidos vão atender a temática do  Butiá em contextos socioeconômicos: comercialização e  economia  solidária; interfaces entre segurança alimentar e nutricional e a Rota dos Butiazais; e a Sociobiodiversidade e ecossistemas nos butiazais. Já os relatos de experiências  vão tratar do uso do butiá em agroecologia, povos e comunidades tradicionais, gestão participativa e territorial, experiências e aprendizagem formal e informal, organização da propriedade, da produção, das redes de agroecologia. Esta atividade vai ocorrer no dia 29 de maio, às 8h30, no auditório Ailton Raseira, na sede da Embrapa Clima Temperado.

Mostra de vídeos sobre butiá

Outra forma de manifestação de conservação dos butiazais e do uso dos butiás é a mostra de vídeos, com 1 minuto de duração, os quais  podem ainda ser inscritos. A data limite de inscrição vai até 28 de maio.O vídeo poderá ser produzido a partir de aparelhos celulares (filmado na horizontal), máquinas fotográficas digitais, filmadoras e/ou webcam. Após a produção,é possível carregá-lo no youtube e enviar o link até data que se encerra o prazo.  Os interessados devem encaminhar para: marene.marchi@gmail.com

Os vídeos serão exibidos no Auditório da Embrapa, no dia 30 de maio, das 12 h às 12h30, e após o evento,  os vídeos serão divulgados na página da Rota dos Butiazais, no Facebook.  
    
Inscrições

Para a apresentação de trabalhos orais foram inscritos 16 relatos; já o evento, tem atualmente 115 inscritos. Mas, o site da Embrapa estará realizando inscrições on-line até o dia 23 de maio, após esta data, os interessados poderão se inscrever no local. Se você tem interesse em inscrever-se acesse o site https://www.embrapa.br/clima-temperado/rota-dos-butiazais

O II Encontro Internacional da Rota dos Butiazais tem a promoção dos Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Meio Ambiente, Embrapa, CNPq, Slow Food e as universidades Federal do Rio Grande do Sul e Estadual do Rio Grande do Sul.

O  evento pretender congregar um público de diferentes competências: agricultores, extrativistas, artesãos, artistas plásticos, pecuaristas, empresários, ambientalistas, cozinheiros, estudantes, professores, pesquisadores, jornalistas e apreciadores de butiá.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink