ILPF representa inovação tecnológica no uso do solo

Agronegócio

ILPF representa inovação tecnológica no uso do solo

Sistema organiza em uma mesma área plantio de culturas, pastagem e vegetação nativa da região
Por: -Joana
1726 acessos
O sistema de produção conhecido como integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) será um dos destaques da AGROBRASÍLIA 2011. Os participantes da Feira podem conhecer os benefícios gerados por essa nova tecnologia de manejo do solo, que consiste em organizar em uma mesma área plantio de culturas, pastagem e vegetação nativa da região.

Os produtores também têm a oportunidade de saber quais os requisitos técnicos para a adoção da tecnologia, como fazer o planejamento e como buscar assistência técnica. “Os ganhos são econômicos, ambientais e sociais, pois a diversificação de atividades na propriedade reduz os riscos climáticos e de mercado, permite a melhoria de renda e de qualidade de vida do produtor rural; a recuperação de áreas degradadas, a redução da emissão de gases de efeito estufa, a diminuição do desmatamento e a redução da sazonalidade de uso da mão de obra no campo”, diz Ronaldo Trecenti, engenheiro agrônomo especialista em iLPF e Sistema Plantio Direto. “Além disso, permite a geração de empregos, a qualificação profissional e maior oferta de alimentos de qualidade e com segurança alimentar”, acrescenta Ronaldo.

O sistema pode ser adotado em várias culturas como arroz, feijão, milho, soja, sorgo, mandioca, amendoim, mamona, abacaxi e hortaliças. Além de plantas destinadas ao pasto como braquiárias, panicuns e tifton; à produção de madeira como eucalipto, mogno e teca; à produção de frutas nativas como pequi, baru, araticum e caju e até para a produção de biocombustível utilizando plantas como a macaúba. Os estudos para inovação e aprimoramento continuados do iLPF são capitaneados pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Parceiros como a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) treinam técnicos para implantação do sistema. “Construímos as tecnologias geradas pelo Sistema Nacional de Pesquisa Agropecuária de forma que sejam sustentáveis”, diz o pesquisador da Embrapa Luiz Carlos Balbino. “A tecnologia é adaptável, segue a filosofia de produção com sustentabilidade”, completa.

Alternar cultivos com pastagem contribui para reduzir problemas como pragas, doenças e plantas daninhas, decorrentes ou potencializados pelo desgaste do solo gerado pelas monoculturas. As gramas utilizadas para pasto são bastante resistentes à maioria das pragas e doenças e contribuem para romper o ciclo dos agentes biológicos nocivos às plantas cultivadas, com redução no uso de defensivos agrícolas.

O pesquisador da Embrapa Lourival Vilela diz que a técnica tem mostrado bons resultados. “Nas propriedades em regiões com períodos de secas, como o cerrado, que implantaram o iLPF houve aumento de peso dos animais, mesmo na época sem chuva. Normalmente eles perdem peso durante a estiagem”, revela.

Para quem tiver interesse, será realizado um Dia de Campo sobre o iLPF durante a AGROBRASÍLIA. Ele acontece dia 20 de maio às 9h, na área demonstrativa do projeto.
 
As informações são da assessoria de imprensa do evento

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink