Impactos da agropecuária sobre a biodiversidade do Pantanal serão avaliados

Agronegócio

Impactos da agropecuária sobre a biodiversidade do Pantanal serão avaliados

Pesquisadores de diversas áreas da Unemat irão avaliar os impactos provocados pela agropecuária sobre a biodiversidade do Pantanal
Por:
239 acessos

Pesquisadores de diversas áreas da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) irão avaliar os impactos provocados pela agropecuária sobre a biodiversidade do Pantanal. Segundo a entidade, não há estudos intensivos de média ou longa duração sobre a maioria dos grupos de seres vivos na região da Bacia do Alto Paraguai, onde é constatado crescimento da atividade.

Segundo a Unemat, serão investigados os reflexos da expansão da agropecuária na região, bem como a perda da diversidade de comunidades de animais e a inter-relação entre planalto e planície do Pantanal. Além de pesquisadores da Universidade, participam pesquisadores de renomadas entidades nacionais e internacionais.

O estudo será realizado por meio de uma expedição de aproximadamente 20 dias, desde a nascente do rio Paraguai até o Parque Nacional do Pantanal. Serão pontos de amostragem a cada 50 km, onde serão realizados amostragens de mamíferos, aves, répteis, anfíbios, peixes e botânica.

“Os efeitos dessas atividades promovem a erosão da biodiversidade em escala local e regional, visto que a diversidade biológica está diretamente ligada aos padrões e processos de um ecossistema”, explica o professor Manoel dos Santos Filho, doutor em Biologia.

Conforme a Unemat, as investigações dos especialistas buscam não apenas dimensionar o quantitativo da diversidade biológica, mas também compreender como funciona o ecossistema.

A expansão das atividades agropecuárias para a região, salienta a instituição de ensino superior, trouxe altas taxas de perdas e fragmentação de habitats, além de alteração da taxa de dispersão de sementes e polenização. Houve ainda aumento da pressão de caça e pesca, acréscimo de cargas de efluentes nos rios, contaminação química, assoreamento dos cursos d'água e desequilíbrio na dinâmica fluvial.

O professor Manoel dos Santos Filho comenta que já se sabe que uma das principais consequências da atividade agropecuária é a contaminação da "biota" (conjunto de todos seres vivos de um determinado ambiente) com agrotóxicos.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink