Importação de pré-mistura de trigo reduz competitividade

Agronegócio

Importação de pré-mistura de trigo reduz competitividade

O empresário Lawrence Pih, presidente do Moinho Pacífico, afirma que já estuda oportunidades de comprar um moinho argentino
Por:
3 acessos
A disputa envolvendo a entrada de pré-misturas para panificação e confeitaria da Argentina no Brasil pode levar moinhos nacionais a investir em território argentino em uma tentativa de compensar as perdas de receitas em decorrência da competição com o produto argentino. O empresário Lawrence Pih, presidente do Moinho Pacífico, afirma que já estuda oportunidades para comprar um moinho de trigo na Argentina. E Pih não está sozinho. Outro grande moinho nacional também pode seguir o mesmo caminho, apurou o Valor.


Os moinhos brasileiros sustentam que os argentinos exportam farinha de trigo com adição de sal como se fosse pré-mistura ao Brasil para pagar alíquota de exportação mais baixa. Tudo começou quando o governo argentino - no auge da crise econômica - impôs tarifa de exportação de 20% para o trigo e para a farinha de trigo. A alíquota para a pré-mistura para panificação é de 5%.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e ter�� acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink