Importações chinesas de soja devem estagnar

GUERRA COMERCIAL

Importações chinesas de soja devem estagnar

“A disputa comercial acendeu esforços para reduzir as importações de soja e o uso para ração"
Por: -Leonardo Gottems
697 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

As importações de soja e consumo de farelo da oleaginosa da China devem estagnar no ano de comercialização de 2018/2019. De acordo com um relatório divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), os principais responsáveis por essa estagnação são a disputa comercial travada com os norte-americanos e o surto de febre suína africana. 

“A disputa comercial bilateral acendeu esforços da China para reduzir as importações de soja dos EUA e reduzir o uso de soja para ração, elevando os preços domésticos de farelo de soja e estimulando vendas mais altas do que o normal da reserva de soja do estado. Periódicos prevêem que as importações de soja da China caiam em 9 milhões de toneladas para 85 milhões no ciclo 2018/2019”, diz o texto. 

Entre os efeitos da disputa comercial estão a tarifa adicional de 25% sobre a soja dos EUA e a preocupação e a possibilidade de que a China possa implementar ações administrativas no porto para desencorajar as compras dos EUA. Segundo o departamento, a situação comercial inflamou os esforços da China para reduzir as importações de soja nos EUA. 

“Este ano o país registrou vendas maiores do que as habituais da reserva de soja do estado, com o governo chinês organizando 19 leilões de vendas acumuladas de 1,92 milhão de toneladas a partir de 24 de outubro. Os preços domésticos de soja e farelo de soja da China vêm subindo constantemente desde julho 2018 e aumentou rapidamente em outubro”, informa. 

As importações de soja da China devem cair para 85 milhões de toneladas, uma queda de cerca de 10% em relação aos estimados 94 milhões de toneladas na safra anterior. Embora a soja dos EUA permaneça dentro de uma faixa de preço competitiva, mesmo com a tarifa adicional de 25%, muitos importadores compartilham que não estão dispostos a correr o risco de enfrentar possíveis barreiras administrativas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink