Incentivos fiscais a defensivos beneficiam agronegócio

OPINIÃO DE ESPECIALISTA

Incentivos fiscais a defensivos beneficiam agronegócio

“Espera-se que o Supremo mantenha a discussão nos institutos tributários, pois é disso que se trata”, conclui. 
Por: -Leonardo Gottems
374 acessos

A concessão de incentivos fiscais aos defensivos agrícolas, que está sendo questionada pelo PSOL através da Ação Direta de Inconstitucionalidade 5.553, traz inúmeros benefícios para o setor do agronegócio. Foi isso que escreveu o sócio do Maneira Advogados e secretário-geral da Comissão de Assuntos Tributários da OAB-DF, Eduardo Lourenço Gregório Júnior, no portal conjur.com.br. 

De acordo com o partido em questão, os incentivos seriam inconstitucionais devido à supostas violações ao direito fundamental ao meio ambiente equilibrado, ao direito fundamental à saúde e, ainda, pela seletividade tributária. Para o advogado, existe uma grande burocracia para aprovar um defensivo no País e, caso o Supremo Tribunal Federal (STF) entenda que eles são prejudiciais, isso irá significar que o próprio sistema não está avaliando os defensivos corretamente. 

“Até porque, se foi autorizado o uso do defensivo agrícola, nos termos aprovados pelos órgãos competentes, o que o Supremo poderá dizer? Que o benefício tributário é o fator que faz o defensivo ser prejudicial? Ou, então, ser mais caro quer dizer que não fará mal? Aliás, o argumento econômico não se sustenta. É o desconhecimento do setor, uma vez que os defensivos agrícolas são produtos muito caros e os benefícios não os fazem ser “baratos” a ponto de aumentar o uso”, completa. 

Ele afirma também que, no seu entendimento, os “benefícios concedidos aos defensivos agrícolas não beneficiam as indústrias, mas, sim, o agronegócio e a economia brasileira, fazendo com que o produto brasileiro seja competitivo internacionalmente e que haja farta oferta de produtos alimentícios, e a baixo custo”. Sendo assim, “espera-se que o Supremo mantenha a discussão proposta na ADI com base nos institutos tributários, pois é disso que se trata”, conclui. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink