Indea realiza inquérito soro epidemiológico para influenza aviária e doença de Newcastle

Agronegócio

Indea realiza inquérito soro epidemiológico para influenza aviária e doença de Newcastle

Aves migratórias passam por ações de inquérito soro epidemiológico para influenza aviária e doença de Newcastle
Por:
505 acessos

Propriedades localizadas ao redor de 10 quilômetros de sítios de invernadas de aves migratórias nos municípios de Cáceres e Araguaiana passam por ações de inquérito soro epidemiológico para influenza aviária e doença de Newcastle. O inquérito é realizado pelo Instituto de Defesa Agropecuária (Indea) e a expectativa é que sejam colhidas 3.825 amostras de diversas espécies de aves, entre galinhas, codornas, perus, patos, marrecos e gansos. O material coletado será enviado para análise no Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro), em São Paulo.

As ações tiveram início em agosto deste ano e consiste em duas etapas. De acordo com o Indea este é o primeiro inquérito soro epidemiológico para influenza aviária e doença de Newcastle em Mato Grosso.

A primeira etapa do inquérito soro epidemiológico foi voltada para o cadastramento e atualização de todas as propriedades e espécies de aves domésticas. Também foi aplicado questionário de investigação epidemiológica para o reconhecimento as propriedades de maior risco na área de 10 quilômetros ao redor dos sítios de invernada de aves migratórias.

Ainda segundo o Indea, a segunda etapa trata-se da coleta de amostras de material das aves (sangue, suabes de traqueia e cloaca de cada ave). Somente em Araguaiana foram coletadas mais de 250 amostras e em Cáceres 102 propriedades já tiveram seus dados atualizados.

As projeções do órgão é que ainda nesta semana as quatro equipes do Indea finalizem a amostragem.

A coleta do material das aves foi executada em 53 propriedades identificadas como de maior risco. 

Reconhecimento em 2008

No ano de 2008 o Indea realizou atividades de reconhecimento dos sítios de invernadas de aves migratórias. Foram percorridos os Rios Cuiabá, São Lourenço, Guaporé, Araguaia, Teles Pires e Juruena. 

Além disso, foram identificadas 50 praias com presença de aves migratórias (Charadriiformes e Anseriformes) cujos resultados laboratoriais foram negativos para influenza aviária.

De acordo com o Indea, as regiões dos rios Araguaia e Paraguai são consideradas estratégicas para a prevenção e monitoramento das aves. Nos dois sítios selecionados foram cadastradas as maiores quantidades de aves silvestres aquáticas, com 2.017 no rio Araguaia e 430 no rio Paraguai.

Alerta sanitário do Mapa

No dia 09 de dezembro o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) emitiu, por tempo indeterminado, alerta sanitário visando intensificar as ações de defesa destinadas para prevenir a entrada de gripe aviária no Brasil.

Na ocasião o diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa, Guilherme Marques, observou que os setores público e privado deverão aplicar medidas mais rígidas de controle dos plantéis.

“Nossa maior preocupação são as aves migratórias, que vêm ao país para fugir do inverno no Hemisfério Norte. A produção comercial já tem controles sanitários muito rígidos", declarou na ocasião o diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa, Guilherme Marques.

Foto: Indea


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink