Índia é ameaça para carne brasileira

Agronegócio

Índia é ameaça para carne brasileira

Indianos podem ser os maiores concorrentes da pecuária do Brasil no futuro
Por:
1475 acessos
Apesar de questões religiosas, indianos podem ser os maiores concorrentes da pecuária do Brasil no futuro

Apesar de ser o maior exportador de carne bovina do planeta desde 2003, os riscos de o Brasil perder esta posição privilegiada não são nada desprezíveis. Este foi o alerta dado pelo médico veterinário do Programa Carne Angus Certificada, Fábio Schuler Medeiros, durante o Seminário de Pecuária da Carne, ontem (12), na Expo Londrina 2011.

No ano passado, o País exportou 1,8 milhão de toneladas da commodity, sendo que a segunda colocada do ranking, a Austrália, vendeu 1,3 milhão de toneladas e os Estados Unidos, 837 mil quilos. Mas, de acordo com Medeiros, o risco maior não é de o Brasil ser ultrapassado pelos australianos nem pelos norte-americanos. O perigo vem da Índia.

''A vaca é sagrada, mas nem todo indiano é hinduísta e a maior parte da carne do país é de búfalos'', justifica. Em 2010, o país asiático exportou 700 mil quilos de carne, sendo o quarto no ranking mundial. ''O mercado indiano está crescendo e eles passam a ser um importante player internacional'', afirma.

Em favor da Índia, de acordo com ele, ainda pesa o custo mais baixo de mão de obra e a proximidade de países importadores. Sem contar que o rebanho indiano é o dobro do brasileiro, cerca de 300 milhões de cabeças. ''Só não são mais fortes comercialmente por razões religiosas. O mercado interno indiano é bem restrito.''

Segundo a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), as exportações feitas pelo Brasil vêm caindo desde 2007, quando totalizaram 2,5 milhões de toneladas. ''E o mercado internacional revisou para baixo a estimativa brasileira para 1,6 milhão de tonelada neste ano'', aponta o veterinário.

A crise financeira de 2008 e o dólar baixo são as principais razões para esta queda. Mas há outro fator importante em jogo. ''O Brasil precisa investir em melhoramento genético e oferecer uma carne melhor no mercado internacional. A carne brasileira é considerada de baixa qualidade lá fora'', alega.

Medeiros lembra que 80% do rebanho brasileiro é de zebuínos - espécie de origem indiana. ''Não é segredo para ninguém que esses bois têm limitações bioquímicas para uma boa qualidade de carne, que é mais dura que a do gado europeu (taurino).''

A saída para o problema, conforme afirma o veterinário, é o Brasil intensificar os cruzamentos entre as raças zebuínas, mais resistentes ao calor e a parasitas, e as taurinas, que são mais macias e apreciadas pelo consumidor internacional.

Para ganhar mais mercado, Medeiros indica que o Brasil também precisa investir em rastreamento do rebanho, pois isso proporciona maior segurança em sanidade animal e abre mais possibilidades de vendas externas. Outro ponto que, segundo o veterinário precisa ser melhorado, é a organização da cadeia produtiva brasileira. O País não conta com nenhuma entidade que represente desde o produtor até o exportador, ao contrário dos concorrentes.

Pontos fortes

Apesar dos fatores negativos, Fábio Medeiros diz que há uma série de pontos fortes na produção da carne brasileira. ''Somos competentes, temos boas pastagens e um consumo interno muito grande. Somos um País comedor compulsivo de carne, cerca de 38 quilos por habitante ao ano.'' De acordo com ele, 83% da produção brasileira é para abastecer o mercado interno, enquanto que, na Austrália, esse índice é de 34%.

Para o veterinário, outra vantagem brasileira é a sanitária. ''A maior parte do nosso território é livre de aftosa com vacinação.'' O fato de o País ter 95% da pecuária em pasto é também um ponto forte. ''Nos Estados Unidos, a maior parte da pecuária é em sistema confinado'', explica.

Por último, ele destaca que o Brasil está avançando cada vez mais na incorporação de tecnologia nas propriedades rurais.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink