Índice CEAGESP fecha 2010 com retração de 1,73%

Agronegócio

Índice CEAGESP fecha 2010 com retração de 1,73%

O clima favorável, sem geadas nas regiões produtoras, favoreceu muito a produção dos hortifrutis.
Por:
681 acessos
A variação de preços no atacado dos principais produtos comercializados na Companhia de Entrepostos e Armazenagens de São Paulo (Ceagesp) registrou queda de 1,73% em 2010. Apesar das altas expressivas nos primeiros meses do ano nos setores de Verduras e Legumes, atingindo 19,01% e 17,31%, respectivamente, no mês de fevereiro, a partir de março esses setores mantiveram quedas acentuadas, o que contribuiu para a baixa do Índice Ceagesp.

“O clima favorável, sem geadas nas regiões produtoras, favoreceu muito a produção dos hortifrutis. Principalmente, nos setores de Verduras e Legumes que tiveram uma ótima oferta de produtos e os preços chegaram próximos ao custo de produção”, analisa o economista da Ceagesp, Flávio Godas.

Em 2010, além dos setores de Legumes (-22,76%) e Verduras (-37,33%), que apresentaram retração nos preços, o setor de Diversos (cebola, batata, amendoim, coco seco e ovos) também contribuiu para a queda do Índice, com redução de 25,86%. O indicador só não apresentou retração maior devido ao aumento de preços no setor de Frutas (10,5%), principal item da cesta de 105 produtos que compõem o indicador, devido aos efeitos sazonais e às chuvas que prejudicaram algumas culturas, como laranja pera e morango, no mês de fevereiro, e do setor de Pescados, que subiu 2,48%.

Em dezembro, o Índice Ceagesp apontou baixa de 2,14%. O setor de Frutas foi o responsável pela queda significativa, com 4,79%, puxado principalmente pela melancia (-31,5%), abacate (-22,3%) e figo (-40,6%). O setor de Diversos também registrou retração de 2,85%, influenciado pela batata comum (-9,1%) e cebola nacional (-3,99%).

No último mês do ano, o setor de Legumes permaneceu praticamente estável, com elevação de 0,39%. As principais quedas foram do pimentão vermelho (-35,7%) e ervilha (-46,4%). As altas concentraram-se no pepino comum (60,3%) e no tomate (16,9%). Já o setor de Verduras continua em recuperação de preços, e teve alta de 10,04% em dezembro. As principais elevações foram da rúcula (46,06%) e do almeirão (14,3%). Apenas o milho verde (-35,3%) apresentou redução dos preços no setor. Houve ainda avanço de 1,82% nos preços dos Pescados. As principais altas: atum (28,6%) e anchovas (9,6%). As quedas foram da pescada (-15,8%) e da tainha (-5,1%).

Com a chegada do verão, época de chuvas quase diárias e altas temperaturas, a previsão é de elevação dos preços nos setores de legumes, verduras e diversos. “A qualidade dos produtos, principalmente das folhagens e legumes mais sensíveis, começam a apresentar problemas. Essa perda de qualidade, invariavelmente, acarreta redução do volume ofertado e a majoração dos preços”, avalia Godas. Segundo ele, em contrapartida, as frutas e os pescados devem permanecer com preços estáveis em janeiro e fevereiro.

Primeiro balizador de preços de alimentos frescos no mercado, o Índice Ceagesp é um indicador de variação de preços no atacado de Frutas, Legumes, Verduras, Pescado e Diversos. Divulgado mensalmente, os itens da cesta foram escolhidos pela importância dentro de cada setor e ponderados de acordo com a sua representatividade. O ÍNDICE foi lançado em 2009 pela CEAGESP, que é referência nacional em abastecimento.



As informações são da assessoria de imprensa da de Entrepostos e Armazenagens de São Paulo (Ceagesp).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink