Agronegócio

Indústria em Dourados (MS) fará álcool de milho

Uma das indústrias lançadas ontem já iniciou a primeira fase das obras
Por: -Cícero Faria
6 acessos

As duas agroindústrias lançadas nessa quinta-feira (28-12) em Dourados (MS) vão atuar com pioneirismo nos seus respectivos setores dentro do Estado: a Brasil Ecodiesel, na produção de biodiesel, e a Comercial Agrícola São Lourenço, na fabricação de etanol à base milho.

Os dois empreendimentos representam investimentos em torno de R$ 36 milhões e deverão estar concluídos dentro de 15 meses. Eles ficarão instalados em áreas conjuntas em frente à BR-163, no distrito de Vila Vargas, a 22 km da cidade.

O ato de lançamento destas novas empresas ocorreu nessa quinta-feira às 10h, no local onde elas irão funcionar. Representando o Estado, que concedeu incentivos fiscais do ICMS, esteve na solenidade o vice-governador Egon Krakhecke, o deputado federal Vander Loubet e o secretário de Coordenação-Geral, Raufi Marques.

O diretor da São Lourenço, Antonio Casarotto, informou ao Correio do Estado que, de imediato, estão sendo construídos secadores e silos para receber a produção de soja desta safra. A segunda etapa do projeto – que estará pronta no início de 2008, prevê a implantação de uma indústria para a produção de álcool a partir do milho.

Esse tipo de etanol atenderá ao mercado industrial de bebidas finas, do setor farmacêutico e de perfumaria. Os subprodutos da moagem do milho serão aproveitados para a fabricação de fubá, quirera e componente de ração animal.

Segundo Casarotto, serão moídas 600 toneladas/dia de milho para a produção de 4.000 litros de etanol. Os equipamentos são importados dos Estados Unidos e a indústria mais próxima de Dourados se localiza no interior de São Paulo.

Biodiesel

A Brasil Ecodiesel terá capacidade para produzir em Dourados em torno de 120 milhões de litros de biodiesel/ano. A empresa investirá R$ 33 milhões na construção da usina, que terá uma unidade de esmagamento para extração de óleo de soja, girassol e, provavelmente mamona, e setor para a produção de biodiesel, informou o presidente do grupo, Nelson Silveira. O consumo estimado será de 500.000 toneladas/ano de grãos.

Ele calculou que serão gerados de 150 a 200 empregos diretos entre técnicos, químicos e outra funções. Em Dourados, a indústria estabelecerá uma rede de integração da agricultura familiar para obtenção de matéria-prima. O modelo consiste na mobilização de famílias para que, através da produção de girassol e mamona, se a colheita for mecanizada, consigam incrementar sua renda e obter melhores condições de vida. Agrônomos da Brasil Ecodiesel têm visitado agricultores rurais para apresentação do projeto e cadastramento dos interessados em participar.

"A opção de construir uma usina aqui se deve ao fato de Mato Grosso do Sul ser um dos maiores produtores agrícolas do País e por sua proximidade com as áreas que consomem o biodiesel", afirmou Silveira. "Vamos trabalhar com a agricultura familiar e aproveitar também as grandes áreas produtivas de agricultores. Trabalhar com essas duas frentes será muito importante para o sucesso deste projeto", completou.

Líder

Fundada em 2003, a Brasil Ecodiesel lidera a produção de biodiesel no País. No último leilão realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a empresa assegurou o fornecimento de 488 milhões de litros de biodiesel, o que corresponde a cerca de 60% da produção nacional.

Suas unidades estão em Floriano (PI), Iraquara (BA), e Crateús (CE). No início de 2007, a companhia concluirá a implantação de outras unidades em Porto Nacional (TO), Rosário do Sul (RS) e Porto de Itaqui (MA). Até novembro de 2007, deverá concluir as obras na planta em Dourados.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink