Indústria goiana já esperava aumento no preço do boi

Agronegócio

Indústria goiana já esperava aumento no preço do boi

O aumento nas cotações do boi gordo eram previsíveis, pois houve uma intensa antecipação de abate, com grande oferta de animais nos primeiros meses do ano
Por:
89 acessos

O presidente do Sindicato das Indústrias de Carnes do Estado de Goiás (Sindicarne), José Magno Pato, afirma que o aumento nas cotações do boi gordo eram previsíveis, pois houve uma intensa antecipação de abate, com grande oferta de animais nos primeiros meses do ano. Segundo ele, isso levou a uma acentuada redução de bois de pasto no mercado físico, antes que os estoques de confinamento pudessem ser disponibilizados para abate.

“Diante desse quadro, podemos concluir, com um elevado grau de certeza, que quem fechou boi mais cedo no confinamento vai ganhar dinheiro”, diz Magno Pato, acrescentando, entretanto, que a tendência é de queda nas cotações do boi gordo a partir de outubro ou novembro. Segundo ele, isso deve ocorrer por ser este o período de pico da comercialização dos animais confinados, que em 2007 devem chegar ao mercado em maior quantidade, em função do estímulo dos preços. “Ainda tem confinador fechando boi”, diz o presidente do Sindicarne.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink