Influenza aviária segue avançando no Japão e na França
CI
Imagem: Divulgação
ALTAMENTE PATOGÊNICA

Influenza aviária segue avançando no Japão e na França

Países precisaram abater milhares de aves com alastramento da influenza
Por: -Aline Merladete

O Japão e a França continuam sofrendo com o avanço dos casos de influenza aviária altamente patogênica. De acordo com as informações divugadas no Portal Avicultura Industrial, o país europeu informou que o vírus do sorotipo H5N8 foi detectado em quatro fazendas de patos domésticos, de Landes e de Vendée, e uma de patos selvagens, em Deux-Sèvres. 

Além disso, dois novos casos da doença, em dois gansos selvagens, foram confirmados em aves encontradas mortas na mesma região.

O pior surto de gripe aviária já registrado no Japão se espalhou para novas fazendas e agora afeta mais de 20% das 47 prefeituras do país, com autoridades ordenando abates após mais mortes de aves. Cerca de 11 mil aves serão abatidas e enterradas após a descoberta da gripe aviária em uma granja de poedeiras na cidade de Higashiomi, na prefeitura de Shiga, no sudoeste do Japão, disse o Ministério da Agricultura no fim de semana.

Outro surto começou na prefeitura de Kagawa, onde o surto surgiu no mês passado, informou o ministério nesta segunda-feira. A FAO emitiu um alerta às autoridades de saúde africanas para o aumento da vigilância das granjas para evitar a propagação da cepa europeia mais recente pela África.

No Japão, 10 das 47 prefeituras do país foram afetadas pelo surto, com cerca de 3 milhões de aves abatidas até o momento, um número recorde. Todas as granjas avícola do Japão receberam ordens para desinfetar as instalações e verificar os sistemas de higiene, e garantir que as telas para impedir a entrada de pássaros selvagens sejam instaladas de maneira adequada.

O Japão suspendeu as importações de aves de sete países, incluindo a Alemanha. O Japão tem um rebanho de poedeiras de cerca de 185 milhões de galinhas e uma população de frangos de 138 milhões de cabeças, de acordo com o Ministério da Agricultura.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink