Infocafé de 28/02/19

Café

Infocafé de 28/02/19

Dólar comercial fechou em alta de 0,61%
Por:
31 acessos

O dólar comercial fechou em alta de 0,61%, cotado a R$ 3,7530. Com isso, a moeda termina fevereiro com valorização acumulada de 2,58%, após cair 5,6% em janeiro. A economia brasileira cresceu 1,1% em 2018 em relação a 2017, mas desacelerou no quarto trimestre, o que frustrou o mercado. Nos Estados Unidos, a economia desacelerou menos que o esperado no último trimestre do ano passado em meio a gastos sólidos de consumidores e empresas.

A colheita da safra de café no Brasil deve começar mais cedo neste ano, até dois meses antes do usual em casos mais extremos em algumas regiões, após floradas antecipadas e forte calor entre dezembro e janeiro que acelerou a maturação, disseram especialistas à Reuters. Essa situação poderia, eventualmente, afetar a qualidade de uma temporada já marcada por baixa produção bianual, pois a maturação acelerada gera grãos de menor peso, enquanto a desuniformidade no desenvolvimento dos frutos atrapalharia a colheita no Brasil, o maior exportador da commodity. "A temperatura muito alta em janeiro pode comprometer a produção de 2019. Com esse calor, vai ter de adiantar a colheita, porque o grão amadurece mais rápido", resumiu Carlos Paulino da Costa, presidente da Cooxupé.

Com sede em Guaxupé (MG), a maior cooperativa de café no país prevê colheita até 15 dias mais cedo em sua área de atuação, composta por Sul de Minas Gerais, Cerrado Mineiro e São Paulo. Segundo Paulino, colheita antecipada não deve afetar o ritmo vendas da Cooxupé, em um ano de baixa de produção no Brasil, dada a bienalidade negativa do arábica, principal variedade cultivada no país. Em outras regiões, a situação de amadurecimento precoce não é diferente. "Houve adiantamento no ciclo. Já estamos com lavouras maduras, já tem uns 20 por cento, ou até 30 por cento, no início de maturação. São das floradas lá de agosto", afirmou Paulo Sérgio Franzini, especialista em café do Departamento de Economia Rural (Deral), referindo-se à cultura no Paraná.

De acordo com ele, as plantações do atual ciclo no estado registraram até cinco floradas, iniciando-se em julho, contra três que geralmente são observadas a partir de setembro. Estimulados por chuvas, tais florescimentos, aliados ao calor, acarretam agora não só em colheita antes da hora, mas também em grãos com desenvolvimentos variados em um mesmo pé de café, indo de verdes a maduros. "Vamos ter colheita antecipada... Vamos ter colheita em abril, quando o usual é em junho... A desuniformidade na mesma planta vai atrapalhar o manejo das lavouras e o planejamento da colheita. Aquele produtor que busca uma qualidade maior, vai ter uma preocupação", destacou ele, dizendo que a produção paranaense deve ficar entre 1 milhão e 1,1 milhão de sacas, contra potencial de 1,2 milhão previamente.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink