Inscrições abertas para Seleção Nacional de Boas Práticas de Ater

Agronegócio

Inscrições abertas para Seleção Nacional de Boas Práticas de Ater

Cada Comissão Estadual vai selecionar 15 projetos, um para cada categoria prevista no edital
Por:
3261 acessos

Foi prorrogado até o dia 23 de setembro o prazo para que as entidades executoras de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) se inscrevam na Seleção Nacional de Boas Práticas de Ater, promovida pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead). As atividades devem ser descritas conforme o edital  e enviadas para as Comissões Estaduais formadas em cada unidade da federação.

De acordo com o coordenador da ação, Hur Ben Correa da Silva, que está à frente da área de Inovação e Sustentabilidade na Sead, o objetivo é, além de identificar, divulgar nacionalmente as boas práticas de Ater que são desenvolvidas em cada estado. “Esta é uma boa oportunidade de disseminar experiências que estão dando certo, e os extensionistas conhecerem as boas práticas uns dos outros”, explica.

Cada Comissão Estadual vai selecionar 15 projetos, um para cada categoria prevista no edital. As propostas selecionadas em nível nacional podem ultrapassar este número, já que serão levadas em conta as características regionais e as diferentes formas de organizações de Ater. No ano passado, das 270 atividades recebidas pela Comissão Nacional, 58 atividades foram premiadas e publicadas. Tanto os técnicos quanto os agricultores envolvidos nos projetos vencedores vieram a Brasília receber seus troféus, e isto vai ocorrer como foi em 2016. “É uma forma de celebrar o que é bem feito”, enfatiza Hur Ben Correa da Silva.

Evento

Este ano, os vencedores serão anunciados durante o 2º Seminário Nacional de Boas Práticas de Ater, a ser realizado entre 5 e 7 de dezembro de 2016 na capital federal. O evento faz parte das homenagens da Sead pelo Dia do Extensionista, comemorado em 6 de dezembro.

Esta é a segunda edição do edital que premia e publica experiências exitosas no âmbito da Política Nacional de Ater (Pnater) e que possam ser replicadas no Brasil. Com mais de 60 anos de existência no país, os serviços de Ater já passaram por vários ciclos e possuem quantidade significativa de experiências em estratégias, metodologias, gestão, políticas públicas e organização produtivas, entre outras.

Categorias

Com critérios  baseados na Pnater, as ações participantes devem estar enquadradas em uma das 15 categorias, organizadas nos quatro eixos abaixo:

I. Ater e Desenvolvimento Sustentável: (a) Sistemas Sustentáveis de Produção de Base Agroecológica; (b) Cooperativismo e Associativismo; e (c) Mercados, Gestão e Arranjos Produtivos;

II. Ater e Políticas Públicas: (a) Crédito e seguro; e (b) Mercado Institucional;

III. Nova Ater: (a) Gestão da Ater; (b) Metodologia de Ater; (c) Agricultor Inovador; (d) Comunicação para o Desenvolvimento; (e) Ater para o Desenvolvimento Comunitário; (f) Extensão Universitária;

IV. Públicos Específicos: (a) Mulheres; (b) Povos e Comunidades Tradicionais; (c) Jovens; (d) Assentados da Reforma Agrária.

 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink