IoT reduz estresse e infecções em vacas leiteiras
CI
Imagem: Marcel Oliveira
TECNOLOGIA

IoT reduz estresse e infecções em vacas leiteiras

Iniciativa é da Microsoft que quer promover a inovação no mercado leiteiro
Por: -Eliza Maliszewski

A Microsoft, gigante da tecnologia de computadores, também está de olho no mercado agro. A empresa tem uma parceria com a Embrapa que está utilizando tecnologias em nuvem, Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (IA) e análise de dados para o bem-estar do gado leiteiro. O objetivo é reduzir o estresse, doenças e infecções em vacas leiteiras e aumentar a produtividade.

Na fazenda experimental em Minas Gerais há um Compost Barn que usa inovações baseadas em Azure, plataforma de nuvem da Microsoft. Sob o conceito “Vacas e Pessoas Felizes”, a fazenda visa mostrar na prática os benefícios das tecnologias tanto para os animais, quanto para os próprios produtores.  Todos os anos são cerca de 5 mil visitantes que buscam inovações para suas propriedades.

O Compost Barn é equipado com um sistema de IoT que funciona com câmeras e sensores inteligentes, que visam identificar o movimento dos animais, além de gerar dados para o controle de temperatura, luminosidade, momento ideal de entrega de água e alimentos. O próximo passo do projeto é aplicar tecnologias para o monitoramento da umidade do solo, por onde caminham as vacas leiteiras, como forma de reduzir possibilidade de infecções.  

De acordo com Wagner Arbex, analista de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa, um dos maiores gargalos do mercado de leite no país é a tecnologia conseguir chegar até os produtores. “As soluções já existiam e o interesse pela inovação também. Nossa parceria com a Microsoft consistiu em, exatamente, criar esse elo entre os produtores e a tecnologia, de forma a evidenciá-la e levá-la para mais lugares do país”, comenta.  

Outra parceria é a inauguração do “Silo: Inovação Aberta”, que funcionará em Juiz de Fora (MG) com o objetivo de reunir grandes empresas do agronegócio, startups e instituições de ensino. O local funcionará como um centro tecnológico que contará com toda a infraestrutura de nuvem da Microsoft para a criação de softwares, soluções de IoT, Inteligência Artificial, desenvolvimento de análise de dados e aplicativos. 

“O mercado de produção de leite é o maior no agronegócio e tem uma participação muito significativa na nossa economia. Apoiar a transformação digital no setor é pensar no desenvolvimento de toda a sua cadeia: desde as fazendas e produtores, até a qualidade do produto final que chega na casa dos consumidores”, comenta Ronan Damasco, diretor de tecnologia da Microsoft Brasil. 
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink