IV Simpósio Sul-Brasileiro de Qualidade de Arroz

Agronegócio

IV Simpósio Sul-Brasileiro de Qualidade de Arroz

Objetivo é debater soluções para as perdas qualitativas e quantitativas dos grãos
Por:
1726 acessos
Objetivando debater, com a cadeia produtiva do arroz, soluções para as perdas qualitativas e quantitativas dos grãos desde a colheita até a armazenagem, a industrialização e o consumo, o Laboratório de Pós-Colheita, Industrialização e Qualidade de Grãos –LABGRÃOS da Universidade Federal de Pelotas – UFPEL, a Associação Brasileira de Pós-colheita - ABRAPOS promovem o IV SIMPÓSIO SUL-BRASILEIRO DE QUALIDADE DE ARROZ, de 8 a 10 de dezembro de 2010, na Faculdade de Agronomia “Eliseu Maciel” – FAEM, no Campus Universitário da UFPEL, em Capão do Leão, RS.

Durante os processos de colheita, transporte e armazenamento, no Brasil, 10% da produção anual de grãos são perdidos, o que representa cerca de 15 milhões de toneladas de grãos a menos. Além das perdas quantitativas, existem também as perdas qualitativas dos grãos e dos produtos deles derivados.

Esses prejuízos decorrem, na maioria das vezes, do manejo inadequado dos grãos, desde a colheita até a armazenagem, provocando reações que poderão causar contaminação e até a destruição desses grãos, ou ainda prejudicar seu desempenho na industrialização e suas propriedades de consumo.

Como conseqüência, a comercialização e o consumo podem ser inviabilizados, pois esses grãos causarão alterações no rendimento de animais e poderão contaminar a alimentação humana.

Não existe uma tecnologia pronta que permita ao grão de alta qualidade na lavoura chegar ao consumo final no mesmo padrão em que foi produzido. Há ações isoladas de colheita, secagem, armazenamento e industrialização, e informações esparsas sobre alterações na qualidade.

Em decorrência da nova Lei de Armazenagem de Produtos Agrícolas (Lei nº 9.973/2000, Decreto nº 3.855/2001 e IN 003/2010, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), com o Sistema Nacional de Certificação de Unidades Armazenadoras em implantação no Brasil, assim como há novos normativos (IN 06/2009 e IN 12/2010) de classificação de arroz. Esses fatos e as novas realidades do sistema de comercialização têm impactos diretos sobre a cadeia produtiva orizícola.


Nesta quarta edição do Simpósio, na passagem 127º aniversário da Faculdade de Agronomia “Eliseu Maciel”, da Universidade Federal de Pelotas, estaremos reunindo renomados cientistas, atentos estudiosos e qualificados profissionais das áreas de produção, armazenagem, industrialização, controle de qualidade e nutrição, ou seja, a cadeia produtiva do arroz, para juntarmos conhecimentos e experiências que possam contribuir para melhorias no setor.

O evento é composto de quatro Sessões: A) Palestras e painéis; B) Pôsteres de trabalhos científicos; C) Exposição de produtos e processos; D) Sessão solene de homenagens a Instituições e Personalidades, onde serão homenageados o IRGA, pelos 70 anos de relevantes trabalhos em prol da orizicultura e também personalidades vinculadas à pós-colheita e à qualidade de arroz no agronegócio, de grandes serviços prestados às cadeias produtivas de grãos, em especial ao arroz, cujos nomes serão revelados na própria solenidade.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink