Justiça gaúcha autoriza liberação do paraquat no Rio Grande do Sul
CI
Agronegócio

Justiça gaúcha autoriza liberação do paraquat no Rio Grande do Sul

Empresa Helm obteve liminar para comercializar herbicida em solo gaúcho
Por: -Lucas Rivas

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul concedeu liminar autorizando a empresa alemã Helm a comercializar o herbicida paraquat no estado gaúcho. Desde 2011, a utilização do ingrediente ativo não era aceita no cadastro do Estado. A substância é usada para controlar ervas daninhas como buva e campim amargoso, que hoje são resistentes ao glifosato.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), junto com o IBAMA e o Ministério da Agricultura (Mapa) é quem autoriza a utilização do herbicida em todo o Brasil, porém a  Fundação Estadual de Proteção Ambiental do RS (Fepam) tentava barrar o ingrediente ativo ao alegar que o produto trazia riscos à saúde humana. Usava como subsídio noticias isoladas de países como Guatemala e Costa Risca.

No entanto, a banca de advogados Deboni, Rizzo & Sponton, que defende a indústria alemã, comprovou que a Fepam não tem competência para proibir a comercialização e a distribuição de produtos autorizados em âmbito federal.

A liminar será publicada no Diário da Justiça RS nesta quinta-feira. Com isso, mais de 1,5 mil revendedoras de defensivos agrícolas do Rio Grande do Sul poderão comercializar o paraquat da Helm para os produtores de diversas culturas como soja, trigo, milho e até uva.

Para o advogado Guilherme Franzen Rizzo, da Deboni, Rizzo & Sponton, além de trazer tranquilidade para o produtor gaúcho, a liminar também equilibra o cenário atual da agricultora do Rio Grande do Sul com os demais estados produtores do Brasil.

“Esta é uma ação extremamente singular e de tremenda importância para o agronegócio do Rio Grande do Sul porque garante a liberdade do agricultor e do comerciante usar os mesmos elementos que todos os outros agricultores e revendedores do resto do Brasil usam. A decisão reequilibra os agricultores do Estado com todos os agricultores do país”, destaca.

A Fepam ainda pode recorrer da decisão.

O paraquat está registrado e é usado em mais de 90 países no mundo todo, inclusive nos principais mercados agrícolas com alguns dos sistemas de regulamentação mais exigentes, como Canadá, Austrália, EUA, Japão e Nova Zelândia.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink