La Niña faz Brasil perder 8,9 milhões de toneladas de soja
CI
Agronegócio

La Niña faz Brasil perder 8,9 milhões de toneladas de soja

Temporada agrícola encerra marcada por severas estiagens
Por:
Temporada agrícola encerra marcada por severas estiagens

Fenômeno climático La Niña puxou para baixo a produção brasileira de soja na temporada 2011/12. Com uma produção estimada em 66,38 milhões de toneladas o volume é 11,9% ou 8,94 milhões de toneladas inferior à safra anterior. É o que afirma a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Em seu último relatório mensal sobre estimativa de safra - divulgado em setembro - a estatal elenca que "as condições climáticas adversas caracterizadas por estiagens prolongadas foram os responsáveis pelo resultado negativo da safra.

Dentre as regiões brasileiras a Centro-Oeste foi a que menos sofreu com o problema. A produção estimada em 34,90 milhões de toneladas é 2,8% superior à obtida na safra anterior.

Para a Conab, "este aumento se deve ao incremento de 6,2% na área de plantio. A produtividade estimada em 3.036 kg/ha, ou 3,2% abaixo da obtida em 2011/12, foi influenciada devido às estiagens, sobretudo no estado de Mato Grosso do Sul".

Com o ciclo praticamente encerrado, Mato Grosso confirmou-se mais uma líder na produção brasileira da oleaginosa. Sozinho produziu 21,85 milhões de toneladas, ou 33% da safra total colhida no país.

O principal produtor de soja já deu início à semeadura da nova safra (2012/13). A área deve crescer em termos percentuais entre 7% a 12% na comparação com 2011/12, sendo destinados entre 7,4 mil hectares a 7,8 mil hectares, estima a Companhia Nacional de Abastecimento.

Já a produção está avaliada entre 23,1 milhões de toneladas a 24,2 milhões de toneladas, volumes 6% e 10,9% superiores aos 21,8 milhões de toneladas colhidos em 2011/12.

De acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o cultivo já chega 17,3% do espaço agricultável. "Houve uma boa evolução, especialmente no médio norte do estado, onde a boa condição de clima permitiu realizar o plantio", avalia Daniel Latorraca, gestor do Imea.

Diferente do Centro-Oeste do Brasil, na região Sul a safra de 18,55 milhões milhadas é 35% inferior à temporada 2010/11. Resultado especialmente influenciado pelas fortes estiagens verificadas no estágio de desenvolvimento da cultura.

Somente o Rio Grande do Sul amargou perdas na ordem de 43,8% na produção, passando de 11,62 milhões de toneladas para 6,5 milhões de toneladas.

No Nordeste do país a produção recuou 2,5% chegando a 6 milhões de toneladas em 2011/12. Por sua vez, Norte e Sudeste conseguiram resultados 9,9% e 0,7% maiores, respectivamente, segundo a Conab.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink