Lavoura Comunitária recebe projetos em Goiás

Agronegócio

Lavoura Comunitária recebe projetos em Goiás

A ação visa melhorar a alimentação das famílias desempregadas no Estado
Por: -Silvano
175 acessos

A ação Lavoura Comunitária, integrante do Programa Agrofamiliar, realizada pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás (Seagro), em parceria com a Agenciarural, está recebendo projetos para a safra 2007/08, a partir desse mês. Prefeituras, entidades de classe, associações e todos os segmentos organizados dos municípios que tenham interesse em participar do Programa devem enviar os documentos à Seagro (Rua 256, nº 52 Qd. 117, Setor Leste Universitário. CEP: 74610-200. Goiânia-GO). A relação do material a ser entregue está à disposição no site da Secretaria (www.seagro.go.gov.br).

Na atividade, as famílias participam da produção comunitária de alimentos, com distribuição de sementes e adubos. A ação visa melhorar a alimentação das famílias desempregadas ou que vivem em condições de subemprego, residentes nas periferias das cidades ou na zona rural, que tenham afinidade com o campo e que possam ser parceiras pró-ativas, sempre sob a forma de entidade associativa, essencialmente.

O Programa Lavoura Comunitária oferece oportunidades e tem como principal objetivo incentivar as famílias carentes para, em conjunto, produzirem os alimentos básicos à sua subsistência. Além da forma como a ação foi idealizada, principalmente exigindo a união dos beneficiados em associações ou cooperativas, existe a expectativa de que o programa permita outros benefícios diretos aos participantes, entre eles: integrar os participantes de forma a proporcionar oportunidade de conhecimento coletivo das habilidades individuais, criando um ambiente salutar e de harmonia, aproveitando racionalmente a mão-de-obra disponível e facilitando novas ações governamentais; permitir a realização de outros trabalhos comunitários, que também favoreçam a melhoria das condições de vida; selecionar e treinar pessoas para as atividades rurais dando-lhes oportunidades de retorno ao meio rural, dentre outros.

O Projeto surgiu como uma alternativa viável para a redução da fome no Estado. Foram atendidas 470.333 famílias direta e indiretamente de 1999 a 2006, em 236 dos 246 municípios do Estado. 182.927 hectares foram plantados e colhidas 6.622.810 sacas de grãos (milho e arroz), o que representou investimento total do tesouro Estadual e do Governo Federal no valor de R$ 23.898.433. A meta para esse ano é atender 80 mil famílias direta e indiretamente, plantar 30 mil hectares, com produção estimada em 900 mil sacas de grãos, o que deve gerar investimentos de R$ 5.000.000. A previsão até 2010 é atender 790.333 famílias direta e indiretamente em 302.927 hectares plantados em todo Estado, com produção total estimada em 10.200.000 sacas de grãos, com investimentos total de R$ 44.000.000.

Gerente do Programa, Gheorthom Saomar Vinhal Silva Vaz afirma que desde a implantação das ações houve melhora na qualidade dos produtos (semente, adubação, dentre outros), além de maior participação das famílias. Nesse período, segundo ele, aumentou o número de entidades envolvidas e diminuiu o de prefeituras, que sempre oferecem apoio. "As ações resgataram a dignidade de muitas famílias". Na questão produtividade, o gerente afirma que as condições climáticas são decisivas. Outra observação de Gheorthom é quanto ao crescimento das doações, que antes eram de 60 toneladas e hoje chegam a 150 toneladas. Na visão do gerente, esse salto se deve à maior conscientização da contrapartida por parte das famílias.

Para participar do Programa, é feito cadastro e seleção de famílias a serem beneficiadas, por meio das Prefeituras, Associações de Pequenos Produtores Rurais, Sindicatos, Cooperativas e segmentos organizados. O acompanhamento é realizado pela Agenciarural, que monitora e faz o acompanhamento técnico por meio dos escritórios locais. São emitidos três relatórios (plantio, desenvolvimento, colheita e distribuição). As informações são da assessoria de imprensa da Seagro.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink