Lavouras de canola dos associados da Coocam estão em floração

Agronegócio

Lavouras de canola dos associados da Coocam estão em floração

Momento é de definição de produtividade da cultura
Por:
352 acessos

Além de embelezar paisagens nos campos da região, momento é de definição de produtividade da cultura

As lavouras de canola promovem um espetáculo visual nos campos da região de Campos Novos, mas mais que belas áreas floridas, a oleaginosa pode representar renda ao agricultor, principalmente àquele que busca a rotação de culturas, quebra do ciclo de algumas doenças e melhorar a estrutura do solo de suas lavouras, por exemplo.

É neste período de floração das lavouras de canola, que o potencial de produção da oleaginosa se concretiza. Cultivada por produtores associados da Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam, a cultura é mais uma opção de diversificação para o inverno, tão carente de opções para agricultores que não investem na pecuária ou não desejam semear trigo na safra.

De acordo com o Engenheiro Agrônomo Paulo Graeff Júnior, nesta safra, a cultura da Canola sofreu um pouco com as condições climáticas no início de seu desenvolvimento, devido ao fato de algumas áreas sofrerem uma pequena estiagem no momento do plantio, aliadas às fortes geadas em sequência que atingiram as lavouras na sua emergência. Apesar de pequenos problemas climáticos no início, o clima no momento apresenta-se favorável para o desenvolvimento da canola, diferente da última safra, quando a cultura sofreu intervenções climáticas, principalmente com longos periodos de chuva, que afetaram a produtividade. “As áreas de canola estão em pleno florescimento e é neste período que está se definindo o potencial de produção da cultura. Podemos salientar que o clima neste momento da safra é bom, pois está frio, e com uma luminosidade muito boa, o que favorece o florescimento e o desenvolvimento das plantas”, destacou o profissional da Coocam.

Segundo Paulo, a cultura é uma boa alternativa para o inverno, principalmente para produtores que desejam investir na cultura do milho, na safra de verão. “A rotação de culturas é essencial na lavoura, e a canola tem ainda outros benefícios, como a eficiência de uso de nutrientes na cultura subsequente, especialmente o nitrogênio proveniente da rápida decomposição da biomassa de canola, para o milho, facilidade de semeadura, contribuindo para o aumento da lucratividade, pois o solo é descompactado com a cultura. O que é importante também é adotar, sempre que possível, a sequência de culturas: soja - canola - milho - trigo, para se ter vantagens no controle de doenças e manejo em geral nas áreas”, completou Paulo Graeff Júnior.

Utilizada principalmente em solos bem drenados e com boa fertilidade, a canola se encaixa perfeitamente para agricultores que utilizam o sistema de rotação de culturas de maneira a romper o ciclo de importantes patógenos que causam danos na cultura do trigo, por exemplo. “Com esse auxílio, ela promove no ano subsequente uma produção de melhor qualidade e de menores custos, devido à redução do uso de produtos químicos utilizados no controle destas doenças no trigo”.

A introdução de abelhas na polinização da canola pode aumentar a produção da cultura em até 30%. Segundo o Engenheiro Agrônomo da Coocam, polinizar a área, por meio de insetos polinizadores, como abelhas, pode proporcionar um incremento na produção final das áreas. “Pesquisas já realizadas apontam que com o auxílio de insetos polinizadores, com a implantação de abelhas melíferas dentro da lavoura, o resultado produtivo é diferente para o produtor. Como em outras culturas, sabemos que a cultura da canola emite um número de flores a mais do que consegue polinizar e com a introdução de abelhas para o aumento da polinização pode-se incrementar uma produção ou rentabilidade entre 17 a 30%, ou seja, é lucro ao produtor”, destacou.

Com mais abelhas próximas às áreas, então, há uma possibilidade de maiores ganhos na cultura. “Alguns produtores tem parceiros que trabalham com abelhas que instalam caixas nas áreas para aumentar a produtividade da cultura e consequentemente proporcionando renda aos apicultores que dependem do polen na Canola para a produção de mel”, informou ainda.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink