Leilão de biodiesel testará mercado para mistura de 5%
CI
Agronegócio

Leilão de biodiesel testará mercado para mistura de 5%

Leilão testa disposição do mercado em produzir 2,4 bilhões de litros de biodiesel
Por:

O quinto leilão de biodiesel que a Agência Nacional do Petróleo (ANP) realiza nesta terça-feira (13-02) é o primeiro teste da disposição do mercado em produzir os 2,4 bilhões de litros necessários para a adoção da mistura de 5% do biocombustível ao diesel. No último sábado, o presidente Lula afirmou na inauguração de uma fábrica da Brasil Ecodiesel em Iraquara (BA) que a porcentagem, antes programada para ser obrigatória a partir de 2013, será antecipada para 2010.

Catarina Pezzo, coordenadora de projetos do Pólo Nacional de Biocombustíveis, explica que os quatro primeiro leilões comercializaram 840 milhões de litros de biodiesel, o suficiente para garantir o suprimento da mistura de 2% que começa a valer em 2008. “O quinto leilão tem a expectativa de avaliar o mercado, de forma a orientar as políticas do governo”, diz a especialista do pólo, ligado à Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), em Piracicaba (SP).

No leilão desta terça-feira, a Petrobras vai adquirir 50 milhões de litros de biodiesel, para entrega até dezembro deste ano. Por isso, a possibilidade de venda fica restrita às fábricas já existentes, o que torna grande a expectativa sobre a tendência de preços de agora em diante. “Presenciamos agressividade exagerada de alguns concorrentes nos leilões anteriores”, diz a diretora financeira da Granol, Paula Regina Ferreira. A empresa terá uma capacidade de produção anual de 320 milhões de litros até o fim do ano.

Paula prevê que o preço médio do biodiesel no leilão desta terça ficará acima do R$ 1,747 registrado no último leilão, já que apenas fábricas prontas poderão participar. No último leilão, realizado em julho de 2006, a Brasil Ecodiesel vendeu 428 milhões de litros a R$ 1,73, enquanto a Granol forneceu apenas 1,8 milhão de litros, pelo preço mais alto entre as ofertas vencedoras: R$ 1,90.

“Os preços deverão se situar num patamar mais realista e menos especulativo do que nos leilões anteriores, onde puderam entrar também empresas com projetos de biodiesel e sem know-how dos riscos ou dos custos efetivos de operação”, acredita a executiva. A Granol, uma esmagadora de soja com mais de 40 anos, iniciou a atuação no biodiesel com o arrendamento de uma planta em Campinas, de 60 milhões de litros por ano, que está em manutenção. Já está operando uma fábrica de 120 milhões de litros em Anápolis (GO) e inaugura ainda este ano uma unidade de 140 milhões de litros em Cachoeira do Sul (RS).

Paula diz que a Granol só oferta volumes de biodiesel para os quais a empresa tem condições de fazer hedge (proteção contra alta ou baixa nos preços) da matéria-prima, no caso a soja. Mas Catarina, do Pólo Nacional de Biocombustíveis, avalia que a saída para a produção viável de biodiesel é justamente as empresas se desligarem do mercado de commodities agrícolas, disputadas com a produção de alimentos.

A expectativa de Catarina é que os preços médios do biodiesel continuem caindo, à medida que novas tecnologias e matérias-primas são acrescentadas à produção. Para ela, a recente alta nos preços da soja é um desafio à produção lucrativa, mas deve forçar os produtores a buscar fontes de óleo mais baratas, como o sebo bovino.

A coordenadora do Pólo Nacional de Biocombustíveis avalia que os leilões só deverão ser suspensos quando da inclusão obrigatória dos 5%. Na opinião dela, esse será o momento no qual o mercado terá oferta e demanda que poderão se regular sozinhas.

“A tendência é que o mercado de biodiesel se iguale ao do álcool quando os leilões acabarem”, diz Catarina. As usinas vão comercializar o biodiesel diretamente com as distribuidoras de combustíveis, que por sua vez venderão o diesel já com 5% de biodiesel aos postos, como ocorre com o álcool anidro misturado à gasolina.

A Brasil Ecodiesel, maior produtora do País, tem sua base de produção na mamona e utiliza a soja apenas para complementar a produção, o que segundo a empresa garante os baixos custos. A planta de Iraquara será responsável pela entrega de 80 milhões de litros de biodiesel até o fim do ano. Na inauguração da unidade, Lula afirmou ainda que o governo está “trabalhando para que um dia a indústria brasileira possa produzir um motor a biodiesel, para não ter de fazer mistura”.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink