Leilão Milho: Produtores devem ter cautela, sugere Geller

Agronegócio

Leilão Milho: Produtores devem ter cautela, sugere Geller

Neri Geller garante que os recursos para os 2,5 milhões de toneladas de milho do Estado já estão liberados, porém a garantia do valor depende do produtor exercer seu direito que é não aceitar nada abaixo do preço mínimo
Por:
409 acessos
A Lei da oferta e da procura reduziu excessivamente o valor do Prêmio de Escoamento de Produto (PEP) para milho no leilão realizado nasexta-feira (28/08) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), foi o que avaliou Neri Geller, vice-presidente Norte da Aprosoja.

“É importante que os produtores garantam o preço mínimo do prêmio que é de R$ 13,20. Os recursos para os 2,5 milhões de toneladas de milho armazenados no Estado já estão garantidos para as próximas semanas”, garante Geller.

De acordo com Geller, na sexta-feira mesmo já saiu o edital com a data do próximo leilão de mais 500 mil toneladas e a cada semana sairá um novo edital até que seja leiloado todo estoque de Mato Grosso.

“Não existe razão para o produtor se desesperar nesse momento. Temos o recurso garantido. A procura foi tão grande ontem (28) que o valor caiu de 6,66 para 3,80. Pedimos aos produtores que tenham paciência. Esse mecanismo é para exercer a garantia de preço mínimo, por isso lutamos por esses recursos”, afirma Neri.

No início do leilão o prêmio era de R$ 6,66 por saca, e no fechamento caiu para 68% do valor. Para o médio-norte o prêmio de R$ 6,06 por saca fechou com 52% abaixo do valor inicial.

Geller enfatiza que nos leilões ocorre a valorização quando o produtor percebe que o preço caiu demais e recua, não aceitando vender seu produto abaixo do mínimo estabelecido.

Ele aconselha que se o produtor perceber uma desvalorização grande só recuar para garantir que o preço se estabilize naquilo que é ideal para não ter prejuízos. “Corremos atrás para liberar o recurso para os leilões que já saiu do Ministério da Fazenda e já está disponível no Ministério da Agricultura. Não dá para aceitar essa redução excessiva”, diz Neri.

Geller acrescenta que nesse momento é que é importante o produtor mostrar a unidade.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink