Londrina será sede da 3ª Reunião Paranaense sobre Ciência do Solo

Agronegócio

Londrina será sede da 3ª Reunião Paranaense sobre Ciência do Solo

Um olhar apurado sobre os sistemas conservacionistas de produção
Por:
1123 acessos
Um olhar apurado sobre os sistemas conservacionistas de produção é o objetivo da 3ª Reunião Paranaense de Ciência do Solo, que será realizada de 7 a 9 de maio, no Hotel Sumatra, em Londrina. Debates sobre o tema vão reunir pesquisadores, técnicos, estudantes e agricultores, com ênfase no manejo e conservação do solo. A promoção é da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, com organização do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar). 

Essa terceira edição vai consolidar o evento que, nos últimos anos, vem sistematizando conhecimento e informações sobre pesquisa e extensão no Estado. “O objetivo é promover uma discussão que contemple as diferentes características e as particularidades regionais do Paraná”, diz Arnaldo Colozzi Filho, pesquisador do Iapar, vice-presidente do Núcleo Paranaense de Ciência do Solo e presidente da 3ª Reunião Paranaense de Ciência do Solo. 

Colozzi explica que o conhecimento e técnicas utilizados no manejo e conservação do solo resultam dos esforços de pesquisadores de instituições públicas como o Iapar e Embrapa, instituições privadas, universidades, além dos órgãos destinados à extensão e assistência técnica, como Emater e cooperativas. 

Este é justamente o público que, durante três dias, vai tratar das questões que envolvem o tema. A cada edição o evento atrai mais interessados, o que se comprova no volume de trabalhos inscritos: neste ano são 342 trabalhos, contra os 240 inscritos na segunda reunião, em 2011, e dos 99 apresentados na primeira reunião, realizada em 2009. Os participantes vão tratar dos temas em conferências, palestras, painéis, plenárias, debates, minicursos e sessões de pôsteres. 

ITINERANTE - A importância do solo na prática da agricultura conservacionista leva o Núcleo a realizar o evento nas diferentes regiões do Paraná, contemplando as especificidades de cada área. “O Núcleo pretende rodar o Estado inteiro. A primeira reunião foi realizada em Pato Branco e a segunda em Curitiba”, diz Colozzi. 

O tema central do encontro é o solo, como componente dos sistemas conservacionistas de produção. “Temos como princípio que não vale a produção a qualquer custo. É preciso ações para preservação e melhoria das condições do solo”, explica. A programação do evento foca o manejo, conservação, fertilidade e nutrição, física, biologia, educação e ciência do solo, que são as áreas de abrangência do Núcleo paranaense. 

PROGRAMAÇÃO - A abertura da 3ª Reunião Paranaense de Ciência do Solo será realizada no dia 7 de maio, às 8h30, pelo pesquisador Rolf Derpsch, com a conferência “Sistemas conservacionistas de produção: como assegurar a sua sustentabilidade?”. 

O pesquisador vai traçar um panorama mundial sobre o tema, partindo da larga experiência e atuação em países de vários continentes, inclusive o Brasil. Aqui, Derpsch desempenhou pesquisas na área de solos do Iapar, no período entre 1977 e 1984. “Derpsch dará o tom de todo o evento”, diz Colozzi. 

O pesquisador João Carlos Sá, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), dará continuidade ao tema com a conferência “A qualidade do solo em sistemas conservacionistas de produção”, a partir das 10h40. 

A tarde do dia 7 será ocupada por plenárias e palestras. A palestra “Uso do solo em sistemas conservacionistas para o cultivo de pastagens” ficará a cargo de Tangriani Simioni Assmann, da Universidade Técnica Federal do Paraná (UTFPR) de Pato Branco. 

A palestra “Uso do solo em sistemas conservacionistas para o cultivo de perenes” será proferida pelo pesquisador Pedro Antonio Auler, do Iapar de Paranavaí. O professor Volnei Pauleti, da Universidade Federal do Paraná (UFPR) falará sobre “Uso do solo em sistemas conservacionistas para o cultivo de culturas anuais”. 

No dia 8 a programação segue com painéis. O primeiro deles, “Processos de degradação do solo: ameaças aos sistemas conservacionistas de produção”, ficará a cargo do pesquisador Gustavo Ribas Curcio, da Embrapa Florestas, de Colombo, e dos professores Edivaldo Lopes Thomaz, da Unicentro de Guarapuava, e Avacir Casanova Andrello, da Universidade Estadual de Londrina (UEL). 

“Indicadores de qualidade do solo: uma abordagem em construção?” é o tema do segundo painel, que será abordado pelos professores Eduardo Fávero Caires, da UEPG, Cassio Tormena, da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pela pesquisadora Ieda de Carvalho Mendes, da Embrapa Cerrados. 

Ieda vai apresentar o projeto nacional que busca a proposição de indicadores biológicos da qualidade do solo. “Inovação tecnológica no uso e manejo do solo e da água” é o tema a ser abordado por Renato Viana Gonçalves, da Secretaria de Estado da Agricultura, que falará sobre o Programa de Agricultura de Baixo Carbono no Paraná, e pelo professor Jó Klanovicz, da Unicentro de Irati, que mostrará os trabalhos realizados com agricultores. 

Após o painel, o técnico Nelson Harger, da Emater, fará a palestra “A visão da assistência técnica pública sobre a inovação no uso e manejo do solo paranaense”. 

O painel “Plantio direto. O solo como componente do sistema: desafios”, será abordado pelo professor Ricardo Ralisch, da UEL, e pelo pesquisador Rafael Fuentes Llanillo, do Iapar. Neste painel será feito relato de experiências dos agricultores com o sistema. 

“Recursos biológicos do solo nos sistemas conservacionistas de produção” é o painel que será desenvolvido pelo professor Dilmar Barreta, da Udesc, de Chapecó (SC) e pelos pesquisadores Mariangela Hungria, da Embrapa Soja, e Solon de Araújo, da ANPII/SCA, de Campinas. 

Ainda no dia 8, a partir das 10h20, haverá o painel “O uso de resíduos no solo: avanços e dificuldades”, que será tratado pelo pesquisador Juliano Corulli Corrêa e Rodrigo da Silveira Nicoloso, da Embrapa Suínos, e Cícero Blay Júnior, da Itaipu Binacional. 

À tarde haverá o painel “O manejo do solo no sistema integração lavoura-pecuária-floresta: a experiência paranaense”, com os pesquisadores Simony Lugão, do Iapar de Paranavaí, Alvadi Balbinoti, da Embrapa Soja, e com o professor Jonatas Thiago Piva, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Curitibanos (SC). 

No painel seguinte o tema é “Dinâmica da matéria orgânica do solo”, a cargo do professor Jeferson Dieckow, da UFPR, e dos pesquisadores Mario Miyasawa, do Iapar, e Sandra Mara Fontoura, da FAPA, de Guarapuava. 

A programação dos painéis termina com o tema “Educação em solos e sistemas conservacionistas de produção”, que será tratado pelos professores Nilvania Aparecida de Mello, da UTFPR, de Pato Branco, Marcelo Ricardo de Lima, da UFPR, e João Tavares Filho, da UEL. 

MINICURSOS - A programação ainda conta com cinco minicursos, que serão ministrados no Centro de Difusão de Tecnologia do Iapar: 

“Métodos químicos e espectroscopia para a caracterização da matéria orgânica do solo”, pela professora Larissa dos Santos, da UTFPR, de Pato Branco. “Indicadores microbiológicos da qualidade do solo”, a ser ministrado por Marco Antonio Nogueira, da Embrapa Soja. “Espectrorradiometria difusa para estudo do solo”, por Marco Rafael Nanni, da UEM. 

“Perfil cultural: manejo físico, químico e biológico do solo”, a cargo de Maria de Fátima Guimarães, da UEL, e Graziela Barbosa, do Iapar. E “Metodologia para condução de experimentos envolvendo silício”, com Luiz Antonio Zanão Júnior, do Iapar de Santa Tereza do Oeste. 

VISITAS TÉCNICAS - No último dia do evento estão programadas visitas técnicas. A primeira será realizada nas sedes do Iapar e Embrapa Soja. A segunda será uma excursão em áreas de cultivo pelo sistema de plantio direto em Mauá da Serra. Um dos pontos altos da programação é uma visita ao Museu do Plantio Direto. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink