Louis Dreyfus compra empresa de fertilizantes no Brasil

Agronegócio

Louis Dreyfus compra empresa de fertilizantes no Brasil

Com a aquisição da Macrofértil, a LDC vai controlar oito plantas
Por:
1819 acessos
SÃO PAULO (Reuters) - A trading e processadora de commodities Louis Dreyfus adquiriu a produtora e distribuidora de fertilizantes brasileira Macrofértil, por valor não revelado, de acordo com nota divulgada pela companhia nesta terça-feira (14).

Com isso, a companhia francesa, que atua na comercialização de fertilizantes no Brasil desde 2008, passa agora também a controlar operações industriais no segmento.

Na semana passada, o vice-presidente de operações da Dreyfus para a região chamada North Latam, que inclui o Brasil, Adrian Isman, havia dito à Reuters que a companhia queria crescer em fertilizantes no Brasil e que poderia fechar a compra de alguma companhia local em breve.


Com a aquisição da Macrofértil, a Louis Dreyfus Commodities (LDC) vai controlar oito plantas industriais para preparação de fertilizantes no Brasil.

Segundo a nota, a Macrofértil possui instalações no Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás.

"Avançar nesse mercado tem um papel estratégico no nosso modelo de negócio, com um maior ganho em escala de comercialização e aumento da capacidade de originação, mediante alavancagem das operações de barter (troca), como a soja, que consome cerca de 30 por cento dos fertilizantes comercializados no Brasil", disse Javier Britez, diretor de Fertilizantes da LDC, no comunicado.


Segundo a Dreyfus, a Macrofértil tem capacidade de processamento de 1,8 milhão de toneladas de fertilizantes/ano. O objetivo da LDC para o segmento de fertilizantes é chegar a uma distribuição de aproximadamente 2,5 milhões de toneladas por ano e conquistar cerca de 10 por cento do mercado.


"O cenário do mercado de commodities agrícolas e as previsões para médio-prazo permitem entender que os retornos são promissores. Nos nossos planos de curto e médio-prazo, devemos expandir também nossas operações para os Estados do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia e a região do MAPITO (Maranhão, Piauí e Tocantins)", acrescentou Britez.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink