Lufthansa completa 1187 voos com biocombustível
CI
Agronegócio

Lufthansa completa 1187 voos com biocombustível

Conclusão é de que o querosene biossintético é tão confiável como combustível tradicional
Acompanhia alemã Lufthansa comemorou este mês resultados positivos nos seis meses de teste voando com biocombustível entre Hamburgo e Frankfurt. Entre 15 de julho e 27 de dezembro de 2011, um Airbus A321 fez a rota entre as duas cidades, completando 1.187 voos. Uma turbina do avião funcionou com uma mistura de 50% de bioquerosene, o limite máximo para esse tipo de combustível. O objetivo foi adquirir experiência operacional com o combustível e testar seus efeitos sobre o meio ambiente e sobre a vida útil das turbinas.

CLIQUE AQUI  para ver o video da Lufthansa sobre a pesquisa

O resultados preliminares indicam que as 1.556 toneladas queimadas da mistura de biocombustível e querosene de aviação reduziram em 1.471 toneladas a emissão de CO2 na atmosfera. “Como esperávamos, o biocombustível mostrou que é perfeitamente utilizável no dia a dia”, comentou o vice-presidente da divisão de biocombustíveis da Lufthansa, Joachim Buse.

Por enquanto, a conclusão é de que o querosene biossintético é tão confiável como combustível tradicional, só que menos agressivo ao meio ambiente. Entre outras coisas, porque não contém enxofre e é livre de compostos aromáticos (que contém benzeno em sua formulação). Além disso, por suas características químicas, seu uso pode representar uma economia de 1% no consumo da aeronave.

“Num próximo passo, vamos dirigir nosso foco para a adequação, disponibilidade, sustentabilidade e certificação de matérias primas. Esse mercado, porém, tem de ser explorado primeiro. A Lufthansa só dará continuidade à utilização prática quando pudermos garantir matérias primas sustentáveis e certificadas nas quantidades necessárias para as operações de rotina”, conta Buse, que coordena o projeto.

De acordo com a Associação Internacional dos Transportes Aéreos (International Air Transport Association – IATA), as o setor precisa reduzir as emissões de CO2 em no mínimo 50% até 2050 (em comparação com o ano de 2005). “Se quisermos proteger o clima e, portanto, o nosso futuro de forma sustentável, precisamos de ideias e tecnologias inovadoras – além de uma alternativa ambiental para os combustíveis fósseis, principalmente diante do pano de fundo das crescentes necessidades de mobilidade mundiais”, afirma o presidente da Lufthansa, Christoph Franz.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.