Agronegócio

Maggi defende produção de etanol com excesso de milho em Mato Grosso

"Se nós não buscarmos uma saída para esse milho produzido, nós não temos onde colocá-lo"
Por: -Weverton Correa
2556 acessos
O senador Blairo Maggi (PR) reforçou à ministra da Casa Civil, Glesi Hoffmann, as discussões sobre a possibilidade de investimentos e incentivos do governo do federal para produção de etanol a partir do excesso de milho, principalmente em Mato Grosso. A estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia de Estatística (IBGE) para este ciclo, foi de 20 milhões de toneladas, aumento de 28,1% em relação ao último. O incremento também foi previsto na área de cultivo, que passou de 2,7 milhões de hectares para 3,4 milhões (+ 25,1%).


"Quero deixar para o governo a seguinte mensagem: Sim, existe aqueles que defendem que nós não devemos usar comida, entre aspas, para fazer combustível. Mas há que se entender que se nós não buscarmos uma saída para esse milho produzido no Centro Oeste, principalmente no Estado do Mato Grosso, nós não temos onde colocá-lo. Não temos comprador ou não temos comprador com recursos suficiente para bancar os custos e levar essa produção embora. Portanto que haver uma mudança na cabeça no governo, na maneira como ele olha hoje a questão da transformação do milho e etanol", explicou o senador.

Blairo ressaltou o potencial de Mato Grosso e as medidas tomada pelo governo para lhe dar com o excesso de safra, que avaliou não serem suficientes. "Nós temos uma excepcional safra de milho todos os anos no Estado de Mato Grosso, coisa acima dos 20 milhões de toneladas de grão esse ano e que a exemplo dos demais anos que antecederam a esse, todos os anos o governo tem comparecido, tem ajudado os produtores na equalização de preços, ou da ajuda de transporte para amenizar e aumentar a receita e a renda dos produtores. Mas isso para mim não é sustentável, para mim isso também tem tempo para acabar e nós vamos ter que buscar outra solução".


O senador ressaltou ainda as medidas tomadas pelo Estados Unidos, maior produtor de etanol mundo, como um dos exemplos a serem seguidos. "Os Estados Unidos se transformaram no maior produtor de etanol em pouco anos, em cinco, dez anos, saíram do zero para o maior produtor de etanol do mundo. Passaram Brasil na poeira, mas uma coisa muito simples, implantaram suas fábricas de etanol no meio da zona de produção de milho, foi fácil para fazer a transformação. Portanto esse é o desejo que temos para Mato Grosso, ou melhor dizendo, antes que um desejo, uma necessidade, e deixar então na cabeça da ministra alguma coisa colocada sobre esse assunto, porque voltaremos a ele ainda em um futuro muito próximo".

Maggi e a ministra participaram, na quinta-feira (26), em Sinop, do lançamento oficialmente do plantio da safra de soja na safra 13/14. Além deles, estiveram presentes o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, o governador Silval Barbosa (PMDB), deputado federal Nilson Leitão (PSDB), empresário Eraí Maggi (PDT) e presidente de entidades do agronegócio estadual, como Rui Prado e o presidente da Aprosoja, Carlos Fávaro, além de outras autoridades.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink