Mainardi conhece sistema de cultivo de milho irrigado
CI
Agronegócio

Mainardi conhece sistema de cultivo de milho irrigado

Secretário conferiu a diferença de rendimento entre milho irrigado, milho sem irrigação do cedo e milho sem irrigação do tarde
Por:
Acompanhado do produtor Gilberto Câmera, secretário Mainardi conferiu a diferença de rendimento entre milho irrigado, milho sem irrigação do cedo e milho sem irrigação do tarde

Conhecer de perto os resultados obtidos através de um eficiente sistema de irrigação na cultura do milho foi o que levou o secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Luiz Fernando Mainardi, até o interior do município de Santo Augusto, no início desta semana. Na fazenda Câmera foi possível ver o contraste entre o milho irrigado por um sistema de pivôs, que envolve 750 hectares, e aquele que ficou na dependência da água da chuva somando 250 hectares.

Segundo um dos proprietários, Gilberto Luiz Câmera, na parte irrigada a previsão de colheita é de uma média de 220 sacas por hectare. No milho de ciclo precoce, sem irrigação, ainda será possível colher 40 sacas por hectare e o que foi plantado um pouco mais tardio a previsão é colher absolutamente nada.

“Em um período como este temos cada vez mais a certeza de que fizemos um excelente investimento no sistema que nós dá a garantia de produção”, disse Câmera.

O investimento que se refere o empresário é o que resultou na aquisição de 19 pivôs móveis que totalizaram R$ 5 milhões obtidos junto ao BRDE, com prazo de pagamento em dez anos a juros de 5.5% ao ano. A água utilizada para a irrigação vem de aproximadamente 40 hectares de barragem construída na propriedade.

Para Mainardi, o conhecimento desta experiência vai servir para incrementar o programa de irrigação que está sendo construído pelo governo gaúcho e que deverá ser lançado pelo governador Tarso Genro ainda no mês de fevereiro.

“Este deverá ser um programa para o pequeno, médio e o grande produtor. Para os pequenos vamos trabalhar para garantir a assistência para que este seja instruído sobre o funcionamento do programa”, disse. Questões como agilidade nos licenciamentos ambientais, barateamento dos custos de energia com a utilização de motores a diesel e financiamentos para a compra de equipamentos de irrigação também estão sendo definidos antes do lançamento.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.