Maior consumo do bodódromo é de carneiro

Agronegócio

Maior consumo do bodódromo é de carneiro

Oferece-se no cardápio da buchada ao filé de bode
Por:
681 acessos

Petrolina (PE) -  O Bodódromo de Petrolina, a 740 quilômetros de Recife, define-se como o maior complexo gastronômico ao ar livre da América Latina.

Pelo nome, deveria ser um santuário do consumo de bode, mas a carne mais comida ali é a de carneiro, apesar de o cardápio informar outra coisa.

Oferece-se no cardápio da buchada ao filé de bode, mas basta perguntar ao garçom para ser informado que a carne que se vende é a de carneiro.

"O pessoal tem preconceito", disse um dos garçons do restaurante Bode Assado do Isaías, que forma com o Curaçá e o Geraldo Bode Assado a tríade dos melhores da região.

O único restaurante que vende carne de bode se chama Buchada & Cia. O carro-chefe está no nome da casa, que serve ainda sarapatel -prato criado à base de miúdos do animal.

A buchada é um ensopado com estômago (bucho), pulmão, fígado, coração e língua. São cozidos costurados no bucho e servidos com batata e cenoura, temperados com coentro fresco. O preço: R$ 13. O sarapatel sai a R$ 3.
Vários restaurantes expõem ao ar livre a carne que será consumida. Ficam em varais, perto de grandes assadores. O frequentador pode escolher a carne que pretende comer.

Instalado ao ar livre, num espaço de quase 30 mil metros quadrados, o bodódromo é formado por dez restaurantes, churrasqueiras, banheiros, quiosques com comércio e serviços e uma área de festas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink