Maior em bois, MT patina neste setor

Agronegócio

Maior em bois, MT patina neste setor

Na hora de contabilizar divisas com subprodutos, Estado que detém maior rebanho do país e lidera abates é o 10º em embarques
Por:
299 acessos

De janeiro a novembro deste ano, Mato Grosso faturou US$ 60,55 milhões com as exportações de couros e peles, quase que 100% dos subprodutos originados a partir de bovinos. Com a atual receita, o Estado que detém o maior rebanho bovino do país, mais de 29 milhões de cabeças e que também lidera mensalmente o número de abates nas unidades frigoríficas, ocupa apenas o 10º lugar no ranking nacional entre os maiores estados exportadores, conforme o Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB).

De acordo com dados divulgados ontem, todos os dez primeiros colocados no ranking das exportações exibem resultados negativos na comparação anual com o mesmo acumulado do ano passado, mas Mato Grosso é o estado com o maior percentual quando se estende a análise para o faturamento de janeiro a novembro de 2014/2016: - 47,2%, que passou de US$ 114,68 milhões para atuais US$ 60,66 milhões. No ano passado, o volume embarcado gerou receita de US$ 66,96 milhões nos onze meses. Entre 2015 e 2016, o acumulado revela queda anual de 9,6%.

O ranking de estados exportadores está assim: em primeiro lugar Rio Grande do Sul, com 21,3% de participação no faturamento total, em seguida São Paulo, com 20,7%, seguidos de Goiás (15%), Paraná (9,1%) e Ceará (7,3%). Mato Grosso encerrou o período analisado respondendo por 3,3%.

Outros estados que integram o ranking dos dez maiores exportadores são: Mato Grosso do Sul, Bahia, Minas Gerais, Santa Catarina e Mato Grosso.

Analistas explicam que ainda falta ao mato-grossense à consciência de negociar o boi como um todo e não apenas a carcaça, como ocorre nos negócios junto aos frigoríficos. As indústrias compram o boi inteiro e dele tiram proveito de tudo. No caso do couro, o processam e a chancela da exportação geralmente sai pelas matrizes das unidades que quase sempre estão em São Paulo. O couro pode ser embarcado na forma salgado, wet blue, raspa wet blue, crust e acabado. Sendo a primeira, a mais comum quando originada em Mato Grosso.

BRASIL - As exportações brasileiras de couros e peles em novembro registraram um total de US$ 155,8 milhões em faturamento, o que significa um aumento de 7,8% em relação ao mesmo mês de 2015. Em área, o número alcançado em novembro foi de 14,04 milhões de metros quadrados. Em novembro, o país também alcançou a marca de 77 nações como compradoras ao longo do ano.

Entre os maiores parceiros comerciais estão, pela ordem, China + Hong Kong, Itália, Estados Unidos, Vietnã e Hungria.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink