Maior empresa de agronegócio da Argélia quer investir no Brasil

Agronegócio

Maior empresa de agronegócio da Argélia quer investir no Brasil

Grupo pretende abrir indústria de óleo vegetal no Pará e aplicar recursos em infraestrutura
Por:
1094 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Grupo pretende abrir indústria de óleo vegetal no Pará e aplicar recursos em infraestrutura

O maior grupo privado da Argélia quer investir no agronegócio e em infraestrutura no Brasil. Em audiência com o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) nesta terça-feira (8), o presidente da Cevital, Issad Rebrad, disse que estuda a instalação de uma indústria de óleos vegetais (soja e palma) no Pará e o aporte de recursos para facilitar a compra de produtos agropecuários brasileiros por aquele mercado. Ele também pediu que o Brasil estabeleça acordo fitossanitário com a Argélia para permitir a importação de gado vivo. Blairo determinou à Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio do Mapa que tome as providências para viabilizar o acordo.
 
Rebrad manifestou ainda a intenção de importar do mercado brasileiro grão de bico, lentilha e feijão branco. Para tanto, propôs que a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) firme acordo com o governo argelino, a exemplo do que foi assinado recentemente com a Índia, para desenvolver no Brasil espécies desses produtos já consumidas pela população daquele país.

Blairo solicitou o envio pela Argélia de germoplasmas para que a Embrapa apure se já não trabalha com os mesmos tipos de grão de bico, lentilha e feijão branco.  Se a estatal brasileira ainda não tiver desenvolvido essas espécies, os dois governos deverão assinar o acordo. Caso contrário, bastará o Brasil ampliar a produção para atender o mercado do país africano.
 
Uma das maiores empresas da África, a Cevital é uma tradicional importadora de commodities agrícolas da Argélia. No país, ela está voltada principalmente à produção de hortaliças e frutas.

O secretário da Relações Internacionais do Agronegócio do Mapa, Odilson Ribeiro e Silva, acompanhou o ministro Blairo na audiência. 
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink