Mais de mil produtores participam de Dia de Campo no RS
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,140 (0,73%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,05%)


Agronegócio

Mais de mil produtores participam de Dia de Campo no RS

Foram abordados assuntos como Irrigação e fertirrigação na integração leite/suínos, na granja Coqueiral; Manejo integrado e criação de terneiras, na agropecuária Central; Uso, manejo e conservação de solos em Microbacias Hidrográficas
Por: -Silvano
789 acessos

Mais de 1.200 agricultores da região Noroeste do Estado participaram do Dia de Campo Institucional, em Doutor Maurício Cardoso, na sexta-feira (22-10). Em cinco estações, os técnicos da Emater/RS-Ascar mostraram por que o município se tornou referência regional na organização dos agricultores familiares.

Foram abordados assuntos como Irrigação e fertirrigação na integração leite/suínos, na granja Coqueiral; Manejo integrado e criação de terneiras, na agropecuária Central; Uso, manejo e conservação de solos em Microbacias Hidrográficas, em Capelinha; Fruticultura, diversificação e irrigação, no microaçude Ferrari; e Agroindústria, organização de arredores e saneamento básico, na Agroindústria do Pomar.

Ao longo do dia foi possível conhecer o trabalho desenvolvido na Granja Coqueiro, administrada pelos produtores Daniel Brandalise, Luis Afonso Escobar Batista e Renato Juliane. Em 22 hectares, os produtores mantêm 105 vacas com uma produção de 680 litros de leite por dia, além da criação de 900 suínos. A propriedade utiliza o sistema de pastoreio rotativo que, segundo os técnicos, associado à irrigação e à fertirrigação oferece um aproveitamento melhor dos espaços, podendo dobrar o número de animais na mesma área. “Esse pode ser considerado um leite barato, ficando entre 30 e 35 centavos o custo por litro”, afirma o extensionista da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa, Jair Meller Domenighi.

Em um outro ponto do percurso, na propriedade de Cleonir Bonzam, os grupos ouviam como teve o início do processo de recuperação das microbacias hidrográficas. Segundo o agrônomo Volnei Righi, esse é o resultado de um trabalho de 17 anos de conscientização e de mudanças culturais com introdução de novas técnicas no trabalho de conservação de solos. “Hoje, o município ganha em rendimento e produção de todos os municípios da região”, informou Righi.

A organização do evento foi da Emater/RS-Ascar e prefeitura municipal, com o apoio do Sicredi, Comercial SLC e Máquinas Agrícolas Carpenedo Ltda, e teve como objetivo apresentar às famílias rurais o trabalho desenvolvido pela Emater/RS-Ascar na região da Grande Santa Rosa e Missões desde 1992, quando começaram os trabalhos de conservação do solo e dos recursos naturais.

As informações são da assessoria de imprensa da Emater/RS-Ascar.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink