Mapa acelera estudos para o programa de bioenergia

Agronegócio

Mapa acelera estudos para o programa de bioenergia

A Pacific Consultants International vai entregar o estudo-piloto para implantação do programa
Por:
1 acessos

A pedido do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, a Pacific Consultants International vai entregar, até o final deste mês, o estudo-piloto para implantação do Programa Brasileiro de Agricultura Bioenergética. Nesta segunda-feira (11-04) o secretário de Produção e Agroenergia do Mapa, Linneu Costa Lima, se reuniu com os diretores da empresa e disponibilizou uma sala para reunião dos técnicos que vêm elaborando o anteprojeto do programa.

“A proximidade dos técnicos com o ministério vai agilizar a coleta de informações e a conclusão do documento que será entregue pelo presidente Lula às autoridades japonesas em maio próximo, durante sua visita àquele país”, explicou Costa Lima. O estudo-piloto servirá de base ao Japan Bank for International Cooperation (JBIC) para a liberação dos US$ 650 milhões que serão aplicados em projetos de bioernergia, a partir do Pólo de Bicombustível de Piracicaba.

Segundo o secretário, o trabalho vai mostrar o potencial brasileiro na produção de biocombustível e as necessidades de investimentos em logística e infra-estrutura para atender a demanda do mercado japonês. O estudo apontará também as culturas que devem ser estimuladas para a produção do biodiesel. “O Japão tem grande interesse em comprar etanol do Brasil, mas quer garantias de que teremos condições de atender suas necessidades”, disse Costa Lima.

No ano passado o governo japonês regulamentou uma lei autorizando a adição de até 3% de álcool à gasolina. Segundo cálculos do Mapa, isso pode gerar uma demanda de 1,8 bilhão de litros de álcool carburante por ano.Este volume significa cerca de 11% da produção brasileira, que é de 15,3 bilhões de litros.O JBIC dispõe de uma carteira de US$ 7,2 bilhões para investimentos anuais no Brasil. Parte disso pode ser usada na construção de usinas, além do financiamento de pesquisas e desenvolvimento do Programa Brasileiro de Agricultura Bioenergética.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink