Mapa comemora dia nacional da conservação do solo

Agronegócio

Mapa comemora dia nacional da conservação do solo

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento vai promover amanhã,uma palestra
Por:
1 acessos

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento vai promover amanhã, (15-04) às 9h, em seu auditório, uma palestra comemorativa ao Dia Nacional de Conservação do Solo. Instituída por lei, em 1989, a data vem sendo comemorada desde então por sua importância no contexto produtivo e também para homenagear o professor norte-americano Hugh Hammond Bennett, considerado o pai da conservação do solo.

O palestrante, escolhido pelo Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade do Mapa, é o produtor rural paranaense Manoel H. Pereira, pioneiro e incentivador do sistema de plantio direto (PD) na palha no estado do Paraná. Ex-diretor da Organização das Cooperativas do Paraná e fundador de cooperativas e associações conservacionistas naquele estado, Manoel Pereira foi premiado pelo Incra, em 1982, como “Produtor do Ano”.

Com 2.500 hectares de culturas de verão e 700 de culturas de inverno no Paraná e em Goiás, o produtor vem participando de inúmeros eventos internacionais para divulgação do plantio direto.

Baseado em princípios simples (não revolver o solo e mantê-lo coberto ao longo do ano com rotação de culturas) o sistema vem produzindo excelentes resultados em termos de produtividade, além de reduzir a erosão, a poluição dos rios e o consumo de fertilizantes, permitindo, em algumas regiões, mais de uma safra por ano.

Segundo Luiz Novais, do Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade e representante do Mapa na Federação Brasileira de Plantio Direto na Palha, são cultivados hoje no Brasil aproximadamente 21,5 milhões de hectares sob PD, principalmente nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Ele cita exemplos de ganho de produtividade em algumas culturas e estados como no Mato Grosso do Sul, onde a produção de soja no município de Damalia aumentou de 2.800 quilos por hectare para 3.600 com o plantio direto. No milho o ganho foi ainda maior, elevando-se de 3.500 kg/ha para 5.700 kg/ha. Também no município goiano de Rio Verde, os agricultores que adotaram o PD obtiveram até 4.600 quilos de soja por hectare.

Novais lembra que na integração lavoura/pecuária “o plantio direto tem elevado em até cinco vezes a capacidade de suporte das pastagens, além de aumentar a produção de grãos e reduzir os níveis de desmatamentos em novas áreas”.

Contrariando a concepção de que o sistema só se aplicaria a médias e grandes propriedades, Novais afirma que experiências realizadas em Santa Catarina, Mato Grosso e Goiás, entre outros, mostram o oposto. “O PD tem demonstrado vantagens também nas lavouras cultivadas com tração animal em vários municípios catarinenses e goianos, além de contribuir para a preservação de áreas de cerrado nos estados do Maranhão, Pará, Tocantins e Mato Grosso”.

Por sua vez, o Mapa vem apoiando ações de conscientização e capacitação dos produtores rurais, mostrando os benefícios sociais, econômicos e ambientais resultantes do plantio direto.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink