Mapa cria grupo para combater raiva em herbívoros

Agronegócio

Mapa cria grupo para combater raiva em herbívoros

Medidas de prevenção são essenciais para combater a doença
Por:
638 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.
A raiva em herbívoros é uma doença que apresenta sintomas como isolamento, perda de apetite, salivação abundante e espumosa, tremores musculares, paralisia e hipoestesia (perda ou diminuição de sensibilidade em determinada região do organismo), entre outros, levando à morte do animal. No Brasil, os produtores devem ficar atentos aos cuidados necessários para evitar esta doença endêmica, considerada uma zoonose de grande importância para a Saúde Pública, não só pela evolução dos sintomas, como também pelo elevado custo social e econômico.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio do Departamento de Saúde Animal, da Secretaria de Defesa Animal (DSA/SDA), tem colocado em prática ações do Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH), visando o efetivo controle da doença em bovinos, sendo que as atividades relacionadas à raiva tiveram início em 1966.

No Brasil, a raiva dos herbívoros é essencialmente transmitida por morcegos hematófagos (MH), que, quando infectados, veiculam o vírus rábico em sua saliva, transmitindo-o aos herbívoros ao sugarem o sangue desses animais. Por isso, a prevenção da doença é baseada no controle da população desses morcegos e na redução de contato deles com herbívoros domésticos.

O PNCRH propõe estratégias como a vigilância epidemiológica, a profilaxia da doença mediante a vacinação dos herbívoros domésticos em focos, perifocos e em áreas de risco, o cadastramento e o monitoramento dos abrigos de morcegos hematófagos, o controle da população de morcegos da espécie Desmodus rotundus e a educação em saúde. Com isso, a incidência da raiva tem diminuído no País, caindo de 1.584 casos em 2012 para 1.505 em 2013. Nos últimos 10 anos, os casos da doença diminuíram 32%.Além dos prejuízos que essa doença causa à pecuária brasileira, o risco para a saúde humana é corrente, pois muitos casos de raiva humana que ocorreram no Brasil nos últimos anos foram transmitidos por morcegos hematófagos. O DSA é responsável por informar imediatamente o setor de saúde quando há incidência de casos em herbívoros, para atuação e prevenção da raiva em pessoas eventualmente expostas.

O sistema de vigilância para síndromes nervosas em herbívoros é executado nos níveis federal e estadual, tendo como base a execução de ações contínuas, sem prazo de finalização, e também atuação em situações emergenciais, no caso de surtos epidêmicos.

De acordo com o diretor do Departamento de Saúde Animal, Guilherme Marques, a principal meta do PNCRH é a redução de ocorrência de raiva em herbívoros no País. “Esta meta vem sendo alcançada mediante os esforços contínuos de equipes de controle da doença em diversos habitats, sendo a maioria desses inóspitos, como florestas, mangues, regiões acidentadas, o que evidencia a eficiência da estratégia que estamos aplicando”, disse.
 
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink