Mapa inspeciona qualidade de leite em Mato Grosso
CI
Agronegócio

Mapa inspeciona qualidade de leite em Mato Grosso

As coletam ocorrem após serem descobertas irregularidades no leite no Rio Grande do Sul
Por:
Mato Grosso é um dos 13 estados do país que passa por fiscalização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para averiguar o controle de qualidade do leite crú recebido nas indústrias. Três laticínios – dos 42 instalados – recebem a ação por trabalharem com o leite longa vida. As coletam ocorrem após serem descobertas irregularidades no leite no Rio Grande do Sul.


A inspeção visa encontrar se há alguma adulteração no leite pela existência de substâncias como formol, antibióticos e/ou ureia. Em alguns casos esta contaminação pode ter sido provocada pelo uso de medicação em vacas.

O diretor-executivo da Associação de Produtores de Leite de Mato Grosso (Aproleite), Carlos Augusto Zanata, explica que existe um período de quebra quando a vaca está sob efeito de algum medicamento. “Alguns remédios usados em vacas são muito fortes, por isso existe um período de carência em que o leite produzido por estas vacas deve ser descartado para que não haja risco de contaminação. Cada medicamento estipula na bula o tempo certo, alguns pedem dois ou três dias”.

De acordo com o chefe de serviço de inspeção do produto animal do Mapa em Mato Grosso, Leandro Machado, existe dois tipos de fiscalização: a de rotina e as auditorias. “Todo mês o material de amostra colhido pelos laticínios são enviados ao Mapa para acompanhamento da qualidade, esta é de rotina. Funciona como uma aprovação para que a indústria continue sua produção. Já a auditoria contempla mais informações além da própria qualidade do leite, como espaço físico, condições de trabalho, entre outras. Ela acontece uma vez a cada seis meses”.


Leandro Machado explica também que existem outros tipos de contaminação “como a de metais pesados. Esta acontece quando o animal consome água com um tipo de elemento químico em abundância. Este tipo de infecção pode acontecer, porém não comum. O que se encontra em todo lugar são adulterações por parte do produtor”.

De acordo com o chefe de fiscalização, consumidores podem denunciar irregularidades ao Ministério da Agricultura por meio da Ouvidoria da instituição, ligando gratuitamente para o número 0800 704 1995.

Suspeita descartada

Nessa segunda-feira (20), em nota, o Ministério da Agricultura informou que a suspeita sobre resíduos de antibióticos em amostras de leite cru foram descartadas após análises da entidade. Ao todo, 448,3 mil litros foram retidos na empresa Laticínio Vale do Taquari, em Estrela (RS), com denúncias de adulteração.


Conforme o Mapa, todo o produto apreendido foi transformado em 77,2 toneladas de leite em pó integral. A produção, no entanto, não pôde ser comercializada durante o período de investigação, informou o Mapa em nota. Não se constatou a presença de antibióticos.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.