Mapa libera o plantio de soja em MS de outubro a dezembro no MS

Agronegócio

Mapa libera o plantio de soja em MS de outubro a dezembro no MS

Após colheita da safra de milho, agricultores aguardam liberação para plantio de soja
Por:
1022 acessos
O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) voltou atrás e ampliou o prazo para plantio das lavouras de soja em Mato Grosso do Sul. A portaria nº. 169, que estabelece as novas regras para o zoneamento agrícola, foi publicada na terça-feira (4) no DOU (Diário Oficial da União). Agora, ao invés de um mês, como definido anteriormente, a semeadura das lavouras pode ser feita de 21 de outubro a 31 de dezembro nas lavouras de MS. A revisão do prazo aconteceu por iniciativa de entidades representativas do setor, como Famasul (Federação de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e Seprotur (Secretaria Estadual de Produção).

Na semana passada, o Mapa já havia publicado portaria definido o plantio de soja em MS somente durante o mês de novembro, o que gerou uma grande reação do setor. Segundo produtores, um mês não seria tempo suficiente para o plantio das lavouras, já que a produção depende também das condições climáticas.

Na quarta-feira (5), o secretário municipal de Agricultura, Indústria e Comércio, Maurício Peralta, disse ao Diário MS que uma comissão de MS se reuniu na terça-feira, em Brasília, com o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, que recebeu e aceitou o pedido da classe produtora. “Em contrapartida, a comissão se comprometeu a elaborar uma proposta técnica do melhor zoneamento de acordo com o clima de cada região”, explicou o secretário.

Agora, pelas novas regras do zoneamento, o plantio da soja pode ser feito de outubro a dezembro, período já aplicado nos anos anteriores no Estado. Segundo especialistas, caso o plantio ficasse restrito ao mês de novembro, a produção ficaria seriamente comprometida, já que algumas variedades de soja apresentam melhor produtividade se plantadas no mês de outubro.

“Quando o produtor compra a semente, já estabelece uma programação de plantio. Se houvesse qualquer mudança, deveria ser avisada com um ano de antecedência”, afirmou. “Com o plantio em um mês, a produção ficaria inviável”, acrescenta. Outra mudança da nova portaria é a liberação para plantio em solo tipo I, mais arenoso. Nestas áreas, no caso de Dourados, o plantio deve ser feito de 1º a 10 de novembro.

Para definição do zoneamento, o governo federal leva em conta critérios como temperatura e umidade, mas, segundo especialistas, outros fatores também devem ser considerados, como a variedade da semente e o chamado “período juvenil”, que é o tempo de desenvolvimento vegetativo de cada planta. O produtor não é obrigado a cumprir o zoneamento, mas, caso não obedeça às regras, não tem direito a financiamento da safra ou seguro agrícola. “Hoje, é difícil o produtor que tem condições de plantar e produzir somente com recursos próprios”, explicou Sérgio Miranda, conselheiro da Aregran (Associação das Revendas de Defensivos Agrícolas da Grande Dourados).

Na quarta-feira, o presidente da Aeagran (Associação de Engenheiros Agrônomos da Grande Dourados), Bruno Tomasini, disse ao Diário MS que a extensão do prazo para o plantio foi um alívio para toda a categoria. “Agora o produtor pode trabalhar com mais tranquilidade e executar o plantio conforme sua programação”, diz ele.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink