Mato Grosso propõe ação conjunta com o Pará para combater desmate

Agronegócio

Mato Grosso propõe ação conjunta com o Pará para combater desmate

Uma ação conjunta para reduzir o desmatamento ilegal na Amazônia Legal foi proposto pelo Governo de Mato Grosso ao Pará.
Por:
351 acessos

Uma ação conjunta para reduzir o desmatamento ilegal na Amazônia Legal foi proposto pelo Governo de Mato Grosso ao Pará. Somente em agosto, 582 quilômetros foram desmatados, dos quais 67 quilômetros em Mato Grosso, enquanto 236 quilômetros foram pelo Pará. Projeto poderá beneficiar 36 municípios entre os dois Estados. Rondônia pode ser incluída.

Em novembro de 2015 o governador Pedro Taques assinou, durante a COP 21, em Paris (França), a declaração proposta pelo Ministério do Meio Ambiente que prevê o desmatamento ilegal zero no Estado até 2020.

O projeto proposto por Mato Grosso contará com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio do Fundo Amazônia, e poderá beneficiar 36 municípios dos dois Estados.

A proposta foi apresentada ao governador do Pará, Simão Jatene, e a presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, pelo governador de Mato Grosso, Pedro Taques, e pelo secretário adjunto de Meio Ambiente, André Baby, por meio de teleconferência. Há possibilidade de Rondônia ser incluída na ação, uma vez que é um dos Estados que compõe a Amazônia Legal com maiores índices de aberturas de áreas.

A Amazônia Legal é composta por Mato Grosso, Pará, Rondônia, Amazonas, Roraima, Acre, Tocantins e Amapá.

Taques apresentou a experiência e os resultados que Mato Grosso vem obtendo com o programa Produzir, Conservar e Incluir (PCI), apresentado durante a COP 21, em Paris. O programa é uma das principais ações do Estado para zerar o desmatamento até 2020.

“Temos que acabar com esta ideia de que o meio ambiente é divido em estados, falamos de uma mesma bacia hidrográfica, com muitas semelhanças e os mesmos problemas. Se trabalharmos juntos, conseguiremos ter resultados melhores”, observou Taques durante a reunião com o governador do Pará e a presidente do BNDES.

Assim como Mato Grosso, o Pará conta com um "ambicioso" programa de sustentabilidade, o Pará 2030. Taques afirma já ter conversado com o governador do Pará sobre uma possível união entre os estados e programadas de combate ao desmatamento.

Durante a teleconferência, o secretário adjunto da Sema, André Baby, destacou que o combate ao desmatamento sempre foi realizado de forma isolada, o que acaba por gerar dificuldades em se obter resultados positivos.

“Trabalhando em conjunto, trabalhando bem as fronteiras, essa transposição e as ações em conjunto, a gente ganha em capilaridade, pluralidade, valoriza o dinheiro investido e valoriza as campanhas e as políticas públicas para alcançar os objetivos”, salientou André Baby.

Apesar de não fazer parte da Amazônia Legal, uma proposta semelhante será apresentada ao Governo do Mato Grosso do Sul. O intuito neste caso é quanto a preservação do Pantanal. A previsão é que o projeto seja apresentado por Mato Grosso ao Estado vizinho na próxima semana.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink